sábado, março 17, 2007

ÁGUA FUNDA

Água Funda...

Caô, caô! Eu me entrego, ando mesmo na arribação.
Tudo agora e amanhã explode em torres de insônias
E ao sopro da tua volúpia no tum tum tum do coração
Eu desfio as luas coalhadas e toco fogo na babilônia...

O meu pensamento é fervura, é dilúvio, é vulcão
Em ignição derretendo a face do amor submerso,
Que geme por cada filete no grito de desesperação
Em tremores de passos no meu quarto deserto...

Do mar de aéreo azul, amada, tens os olhos exilados,
No teu olhar pendem interrogações sob o sol deserto,
Crepúsculo que se esvai encobrindo o teu rosto amado
De sal nos lábios e coração mais que cimento. Concreto!

Curvada no teu seio, a paixão, sempre vem a galope
E no horizonte de ganhos e perdidos o teu nome ruge
Desfilando os momentos lentamente. Ai! Foge o tempo
E, entre, os prazeres divinais, na fome, como nuvens...

Em mim, é que habitas, minha dona e minha comparsa.
Eu, primavera em flor na nascente de todas as loucuras
Vejo-te da tua janela, em uma lua longa, magra, esparsa
E no teu olhar, céu que germina furacões, a candura...

Mas, eu permaneço em mim mesmo segurando o tempo.
E quem dirá das ânsias infinitas que o coração inunda?
Do dia e noite varridos nas asas dos arcanjos da agonia?
- São tantos os cinzas ardidos no abismo e água funda...

O Sibarita

11 comentários:

Juℓi Ribeiro disse...

Lindo!
Versos intensos e apaixonados!
Em cada palavra,
uma explosão de sentimentos,
que só o amor com sua docura
pode abrandar
e mergulhar nesta agua funda...

Adorei seu blog!
Venha me fazer uma visita.
Será um prazer!
Beijo.*Juli*

Nelson Ngungu Rossano disse...

Gostei, esses versos "primavera em flor na nascente de todas as loucuras" acho que vão tocar o coração da tua amada!

=)

Abraço

Leticia Gabian disse...

"Em mim, é que habitas, minha dona e minha comparsa.
Eu, primavera em flor na nascente de todas as loucuras
Vejo-te da tua janela, em uma lua longa, magra, esparsa
E no teu olhar, céu que germina furacões, a candura...

Mas, eu permaneço em mim mesmo segurando o tempo.
E quem dirá das ânsias infinitas que o coração inunda?
Do dia e noite varridos nas asas dos arcanjos da agonia?
- São tantos os cinzas ardidos no abismo e água funda..."

Jogaste duro, grande Siba!
Tudo, ao mesmo tempo tão doce e tão forte! Adorei! Definitivamente, és o meu poeta do dendê.

Beijão

Fred Neumann disse...

Ei, meu amigo Sibarita,

O amor nas suas palavras fica sempre renovado.
Muito bom vir aqui e aprender um pouco sobre a arte de criar variações sobre o amor em poesia.
E essa foto, hein? Onde é?

abração,

Fred

keila, a Loba disse...

Quanta emoção, Sibarita!

Lendo com atenção o que postou, a impressão que me causou foi estar lendo uma pessoa romântica, doce e profundamente espiritual, o que torna você ainda mais especial, menino.

BeijUivoooooooooooooosssssssssssss

Kalinka disse...

A dedicatória que deixo neste dia 19 de Março é para todos os Pais do Mundo: sejam bons Pais, tenham orgulho de saber criar e educar os vossos filhos, hoje e sempre.

Apeteceu-me
«Olhar, sentir, captar»
No regresso, vim por Aljezur, parei nas Azenhas do Mar, passei em Vila Nova de Milfontes, depois Ilha do Pessegueiro e, já o sol ameaçava se esconder, cheguei a Porto Covo, onde assisti ao maravilhoso espectáculo do pôr-do-sol.
Ali, fiquei presa ao chão, estarrecida com tamanha beleza do horizonte, da força do mar e, captei com a minha objectiva as mais fabulosas fotos de toda a viagem.
Andei por aí, meti o nariz… como faço, como gosto, como quis!!!...

Boa semana para TI.
Beijos e abraços.

Ghiza Rocha disse...

Que jeito bonito de arrebatar-se!
Adoro vir aqui meu poeta!
abraço!

Mila disse...

Olá Sibarita.É verdade!!! A cabeça dos humanos tem tendência a esquecer, muito rápidamente os avisos que a Natureza nos vai dando...
Depois de uma visita a "Síbaris" voltarei de certeza.

Menina do Rio disse...

Oi Siba!
Posso dar um mergulho nestas águas profundas?
Preciso afogar-me um pouco...

Não disse que vou sumir e aceito ser a Deusa, rs...
Preciso apenas de um tempo comigo mesma pra reflectir e reencontrar-me...

Adoro-te!!!

Alexandre disse...

Bom, o poema está divinal... e ilustrado pela imagem ainda ganha mais força! Parabéns!!!

Um abraço!!!

Jofre Alves disse...

Parabéns por mais este magnífico trabalho, é sempre um prazer passar aqui.