quarta-feira, fevereiro 18, 2009

VIVA O CARNAVAL DE SALVADOR

Ópera Bufa do Carnaval de Salvador

Aos amigos de infância, meus irmãos e desculpem a mim mesmo.

Fome na boca da miséria,
Gatos escalpelados...
Gatos nas panelas,
Tamborins exaltados.

Na maré, palafitas
os marezeiros colocam o bloco nas pontes.
Lá vai o bloco dos miseráveis desfilando
pela passarela da ponte Santo Antonio!
Explode o som do serviço de alto-falante
“Eu sou a miséria em cada esquina...”
Caretas feitas de sacos de alinhassem,
pano de chita enfeitando as meninas...
Nas pontes, não há batalhas de confetes.
Jornais velhos como serpentinas,
serpenteiam tristezas e pneumonias!

Nesse bloco não tem cordas,
mas, tem todas as cores da cidade,
é um amontoado de sofrimentos
fazendo carnaval sem instrumentos
Sob as peles e ossos de famintos.

No porta-estandarte: Ai meu Deus! Dona morte
com sorriso largo requebra cheia de alegorias...
No enredo desfilam: fome, asma e cirrose
meningite, pneumonia e tuberculose
Em farrapos de mortalhas como fantasias
À palidez de barrigas vazias...

Valhei-nos, Senhor do Bonfim!

Enquanto, no outro lado da cidade:
Avenida Sete e da Barra a Ondina
dona esperança pula cheia de alegria!
No seu porta estandarte desfilam:
Saúde, escolas e educação,
teatro, lazer e boa alimentação!

Do Campo Grande à Praça Castro Alves
batalha de confetes, pierrôs e colombinas,
lança-perfume, cervejas e serpentinas.
Dentro das cordas, o trio detona o som:
“atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu...”
Requebram quadris bonitos e malhados.
É... A nata da sociedade em plena felicidade,
desce a Avenida Sete com os desejos aflorados...

No circuito Barra/Ondina
Mesas fartas, bebidas e comidas perdulárias
Tendo o azul do mar como visão plena,
A vida é bela! Camarotes cheios de gente fina,
Ivetes, Xuxas, Fautões, Huks completando a cena
Ai Deus! O que será de nós com essas aves de rapina?

E na maré, segue o carnaval...
Crianças caras pálidas,
desfilam no bloco dos pedintes.
Pintam os rostos de índios
e de cuias nas mãos,
os vinténs serão bem vindos!

Nas pontes, o sol chega vestido de arlequim,
espia da esquina e toma uma no botequim.
A lua aparece vestida de colombina,
ela requebra, ele se agarra à sua cintura,
beijam-se e vão desfilar no mar de Amaralina...

Ave Cristo! Cadê o sol, cadê a Lua?

Cacos de carnavais estilhaçados
não, não era para ser assim a vida
pedaços de povo macerados
no aroma de margaridas esmigalhadas...

Acordo em meio às pontes tumulares
conto círios de carnavais dos que se foram
convertendo-se o ar em tumba de folias
são pesadelos, são tristezas, o meu patrimônio
ao som do carro alegórico sem fantasias...

Mel e flores dos pensamentos, para trás os desertos,
o som do alto-falante se propagando na lida
por onde seguem florescendo vozes e sofrimentos
e destas vozes flui a essência da minha vida...

Na porta do meu peito o carro do lixo,
o seu fartum é o que se sente
e no meu coração de criança reflito:
uma vontade enorme de voltar para o ventre...

O Sibarita

Se ligue na Sibarita Web Rádio

12 comentários:

Avassaladora disse...

... no meu peito de criança reflito
uma vontade enorme de voltar para o ventre...

Eita, Meu Sibarita querido!
Vc escreve cada uma!

Essa é profunda...
Ah, pudesse eu... encolhdinha, lá estava, na minha primeira morada...


Beijo avassalador!

Carla disse...

a Bahia é linda e no Carnaval deve ficar um espectáculo
Beijos e bom Carnaval

Mary disse...

OLA, MEU QUERIDO !!!

ADOREI TUA POESIA,CÍTRICA, OU MELHOR, ACRI-DOCE, NA MEDIDA CERTA.
UM "GRITO" DE LUCIDEZ NESTES DIAS DE LOUCURA. É MARAVILHOSO SABER QUE EXISTEM PESSOAS QUE NÃO SE DEIXAM INFLUENCIAR SOMENTE PELA FANTASIA DA VIDA, QUE VIVEM E BUSCAM A REALIDADE SEM DEIXAREM O LIRISMO DE LADO. TUDO NA VIDA TEM DOIS LADOS,SOMOS SERES HUMANOS E COMO TAL TEMOS DOIS LADOS.
É COMPANHEIRO,ÀS VEZES DÁ MESMO VONTADE DE VOLTAR AO VENTRE, COM ESSE MUNDO DE TANTAS DESGRAÇAS,FLAGELOS, MAS POR OUTRAS DÁ VONTADE DE BERRAR PRO MUNDO QUE "EU SOU FELIZ" E AGRADEÇO ADEUS POR ISSO. TE DESEJO PAZ,HARMONIA E MUITA FORÇA.TU SABES O PORQUÊ.
UM BAITA BEIJO GAUDÉRIO NO TEU CORAÇÃO,DA TUA GURIA QUE TE ADORA

bat_trash disse...

O Carnaval brasileiro é uma cachaça impagável!
A depeito do sofrimento do ano todo, dos problemas político-sociais esse é um momento só nosso.
Bom Carnaval, meu baiano porreta!

paula barros disse...

Trazendo o carnaval, trazendo a vida e suas diversas realidades. O social gritando por suas palavras. Uma vida digna clamando passagem. Abre alas, a miséria pula e salta aos olhos. Deixamos passar. Quarta-feira de cinzas colocaremos as máscaras (eu e outros), você já faz a sua parte, já tem seu bloco na rua, tem seu estandarte, é o passista primeiro.

Fica com Deus e pelas mãos dele segue abrindo alas. Cantando e encantando vidas.

abraços no seu coração.

A Senhora disse...

Característica tão brasileira, né não? Cantar, dançar e rir, mesmo quando é para chorar.
A vontade de voltar ao ventre até vem, mas é escrever com sensibilidade é o que se faz.
Talvez precisemos de pessoas tão sensíveis para fazer e modificar a nossa realidade - por enquanto, tudo acaba em pizza ou em carnaval e... nós acompanhamos.

bjs.

PS: Sim, você acertou no Caldeirão!! :)))

São disse...

Meu querido Amigo: comovente, lúcido, perfeito!
Um abraço muito apertado!

Pena disse...

Genial Amigo Poeta Fantástico:
"...Na maré, palafitas
os marezeiros colocam o bloco nas pontes.
Lá vai o bloco dos miseráveis desfilando
pela passarela da ponte Santo Antonio!
Explode o som do serviço de alto-falante
“Eu sou a miséria em cada esquina...”
Caretas feitas de sacos de alinhassem,
pano de chita enfeitando as meninas...
Nas pontes, não há batalhas de confetes.
Jornais velhos como serpentinas,
serpenteiam tristezas e pneumonias!..."

É sempre um momento mágico apreciar as suas lindas palavras.
Excelente Carnaval para si e para os seus repleto de "poesia"...
Abraço agradecido pelo fabuloso poeta que é.
Sempre a tê-lo no maior respeito e admiração.
Agradecido pela sua preciosa amizade

pena

MUITO OBRIGADO de ser o que é e como é.

Maria disse...

Provavelmente eu estaria por aí no circuito barra/ondina - afinal é o que eu conheço melhor (mas sem ser no camarote, ôxente)...
Mas adorava estar, e ficar, aí onde estão os meninos e palafitas...

Beijos, Sibarita

Uma aprendiz disse...

Olá, Sibarita

Eita, Salvador deve estar uma delícia.
Você, como sempre, bem realista.


um grande beijo,
de sua amiga paulista

Oliver Pickwick disse...

Sibarita no seu melhor estilo, e em ótima forma. Infelizmente, estes foliões que menciona, ouvem na cantoria do carnaval um canto de sereia, enganoso, que anestesia a fome, embriaga-os, e o fazem esquecerem dos direitos mais básicos.
Um abraço!

Deusa Odoyá disse...

Olá meu lindoSiba!
Sei o o quanto seu coração está triste, e eu junto a tí solidária.Sabes bem do que falo...
Mas olha, eu acho esse lado do carnaval, mais verdadeiro,as crianças brincam sem fantasiar nada apenas a própria realidade delas.
Sem falsas modestias ou pudores.
Queria poder também voltar a ser criança.
Beijos meu anjo lindo.
Saúde á painho e resignação e fé para vc.
Beijos, te gosto.
Regina Coeli.
Saudades meu lindo neguinho...