terça-feira, julho 11, 2006

Silêncio

Silêncio é o teu nome
mas não me assombre
por amores perdidos
e sonhos derretidos...

Se o silêncio é o meu fel
me manda uma porção do teu mel
e adoça o amargor do meu céu!

Se o silêncio é o caminho
o que fazer das tuas flores
que me mandaste sem espinhos?
E da tua voz, e do meu lirismo
seriam paixões ou abismos?

Retenhas o silêncio, me fala...
Fala-me dos sonhos, de ti, de mim...
Quando o amor é forte, não se cala!

A face do teu silêncio
são dias de meditações
em tempestades de mutações
ou seria o rifar dos corações?

O silêncio:
É dor contida
É flor perdida
É amor florescido
É rumor nascido
É horror de quem silenciou...

O Sibarita
01/00

Um comentário:

Florence Elizabeth Demarchi disse...

Oi Sibarita
Entrei aqui para fazer um comentário.
O que dizer?
Meditei na sua poesia, como quem tateia num terreno desconhecido.
Descubro sensações como: sensível e delicado.
Parabéns