quinta-feira, setembro 06, 2007

ÁGUA FUNDA

Água Funda...

Caô, caô! Eu me entrego, ando mesmo na arribação.
Tudo agora e amanhã explode em torres de insônias
E ao sopro da tua volúpia no tum tum tum do coração
Eu desfio as luas coalhadas e toco fogo na babilônia...

O meu pensamento é fervura, é dilúvio, é vulcão
Em ignição derretendo a face do amor submerso,
Que geme por cada filete no grito de desesperação
Em tremores de passos no meu quarto deserto...

Do mar de aéreo azul, amada, tens os olhos exilados,
No teu olhar pendem interrogações sob o sol deserto,
Crepúsculo que se esvai encobrindo o teu rosto amado
De sal nos lábios e coração mais que cimento. Concreto!

Curvada no teu seio, a paixão, sempre vem a galope
E no horizonte de ganhos e perdidos o teu nome ruge
Desfilando os momentos lentamente. Ai! Foge o tempo
E, entre, os prazeres divinais, na fome, como nuvens...

Em mim, é que habitas, minha dona e minha comparsa.
Eu, primavera em flor na nascente de todas as loucuras
Vejo-te da tua janela, em uma lua longa, magra, esparsa
E no teu olhar, céu que germina furacões, a candura...

Mas, eu permaneço em mim mesmo segurando o tempo.
E quem dirá das ânsias infinitas que o coração inunda?
Do dia e noite varridos nas asas dos arcanjos da agonia?
- São tantos os cinzas ardidos no abismo e água funda...

O Sibarita
Caro leitor ouça a Sibarita Web Rádio
operando em fase experimental.
Aceitamos sugestões!

Porta Curta desta semana "O Brilho dos Meus Olhos" Cliquem no Porta Curta Petrobrás, quando abrir a página cliquem em ASSISTA, ai começará o filme. Este curta é ganhador de vários prêmios.
Boa diversão!

Melhor Filme de Ficção no Guarnicê de Cine e Vídeo 2007Melhor Filme Nacional no Guarnicê de Cine e Vídeo 2007 Melhor Roteiro no Guarnicê de Cine e Vídeo 2007Melhor Trilha Adaptada no Guarnicê de Cine e Vídeo 2007. Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2006Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2007Festival Internacional de Curtas-Metragens de Belo Horizonte 2007Mostra de Cinema de Tiradentes 2007Curta Cinema - Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro 2006

7 comentários:

Gabriela Cruz disse...

bem, sou apenas a Gabriela Cruz mesmo. Moro em Juazeiro e a Joaninha é o meu alter ego. rs.

E vc, quem é?

Renata Belmonte disse...

Queridíssimo:
Estou de volta!
Beijos,
Renata

Menina do Rio disse...

Tás arribando pra onde heim meu nêgo?

Eu permaneço em mim...

beijos daqui

Alice Matos disse...

É tão linda a tua poesia, amigo...
Conhecendo os teus comentários cheios de bom humor e os teus poemas cheios de sentimento... atrevo-me a chamar-te uma pessoa bela...
Um beijinho para ti...

Nara Senna disse...

Olá, Sibarita! Não some, não, fio!

Obrigada pelas sugestões de viagens! Vou me programar direitinho pra ver se conheço a Praia do Saco.

kkkk... Não conheço Letícia não, mas com certeza temos muito em comum.

Escute A Promessa mesmo. Qdo a ouço, me sinto mais livre de tudo...

Ah, obrigada pelos comentários... Procurei resumi-los nesse meu... E antes que a incrível sensação me passe, analiso seu poema como único e brilhante!

Bjão e se cuida!

Irene Pinheiro disse...

vc reclama q fico sem escrever... mais assim não dá! desanima... na hora q publico, meio resabiada com a qualidade do q postei, venho aqui e me deparo com uma poesia linda!

quem vai rogar aos santos, agora, sou eu! quero um protetor desses aí, q me façam escrever dessa forma.

bjões, fica bem!

Nara Senna disse...

kkkkkkkkkkkkkk... É tão difícil descrever como gosto de seus comentários, caro Sibarita!
Obrigada mesmo, viu, fio? rsrsr...