sábado, junho 07, 2008

A RAZÃO E A PSIQUÊ

A Razão e a Psiquê

Há uma esquina no metafísico da minha psiquê
Que foge do oculto e se esconde no teu olhar!
Quem sou? Não me perguntes, não tentes saber
Contenta-te, fita-me e que te bastes imaginar...

Não finjo, há um dilúvio de luz na minha alma
E na paisagem os sibilos de flechas na escuridão
Rompem em tochas o noturno da noite que medra
No azul dos versos o eco do psicofísico da razão...

Meu cérebro é eletrônico no perímetro urbano.
Tem largas ruas, becos, labirintos e um delta
Na foz da psique desembocando no rio insano
Da paixão que afoga todos os desejos na aresta...

Das solidárias sou servo... Colho os lírios da lua
E olhando das estrelas, na fé, sinos axiomáticos
Badalam na esquina do pensamento a face nua
Do fervor que brota no espaço mental somático...

Mas, trago no peito, um gramofone anunciando
Um coração partido ao meio e no zênite, o fogo
Do amor que devasta nuvens alvas reverberando
No espelho de quem me vê um anjo vesgo, coxo...

O Sibarita

10 comentários:

Oliver Pickwick disse...

Trouxe o Reich para a eletrônica, Sibarita, numa poesia visionária. Não tarda e, psiquê e cérebro eletrônico serão praticamente a mesma coisa.
Se não falasse "bainês", juraria que é um replicante, como aqueles do filme Blade Runner.
Esta é a mais original de todas as suas poesias.
Um abraço!

Maria disse...

Há um dilúvio de luz na sua alma é fio?
Tá chovendo aí é? kkkkk
... e com gramofone no coração dizendo que tá partido é? olhe que assim a tuga não vai gostar não, kkkkkkkkkkk

Deixando a brincadeira pra lá, e falando sério, estou à espera que me diga quando vai publicar o que escreve....

Ai minha nossa!!

Beijos, cumpadi de minha Amiga

Pena disse...

Talentoso Amigo:
Um poema que vive nas mãos de um autêntico e verdadeiro poeta.
Dos enormes. Sensíveis e, cuja razão é perfeita no sublime sentimento da psique.
"...anjo vesgo, coxo..", JAMAIS, acredite?
Tê-lo-ei sempre na amior estima e respeito.
Sensacional a poesia bela que jorra de si admiravelmente.
Parabéns que respiram sinceridade.
Gostei imenso.

Abraço forte de amizade e estima sinceras

pena
É uma delícia lê-lo e à sua profundidade gigante de poeta brilhante!

Bandys disse...

Oi fiô
Mas eu te disse...
Olha que nosso amigo Pena falou.
Jamais esse anjo sera vesgo e coxo.
Mas tu num acredita em mim ne??

Um coração partido ao meio e no zênite, o fogo
Do amor que devasta nuvens alvas reverberando
No espelho de quem me vê um anjo vesgo, coxo...

Hummm, o anjo seria outro...mas vou deixar pra depois te falar.
Beijos

Angel of Light disse...

Olá amigo!

Passei para te dizer que a tua contribuição para a NOSSA página "Luz é.." (www.a-luz-e.blogspot.com) já está online. Desculpa ter levado tanto tempo...

Se tiveres uma ou duas fotos tiradas por ti e que representem Luz, envia, se quiseres, para o meu e-mail. Tenho todo o gosto de colocá-la na NOSSA página.

O link desta página é teu. Por isso leva-o contigo, se quiseres claro. Houve quem fizesse link através de uma das minhas fotos, a da vela. Se quiseres vê no meu blog como fica. Mas tudo isto fica ao teu critério. Se não levares o lonk, não faz mal nenhum. Tudo é respeitado e compreendido!

Não sigo o Alan Kardec. Sigo a espiritualidade New Age, mas acho que tudo converge para o mesmo centro. Somos todos UM!

Fica bem.

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Olhos de mel disse...

Oie lindinho! Colocou o coração pra escrever, foi? Linda poesia! Anjo vesgo, coxo? jamais! Poxa lindinho, colher lirios da lua... tem algo mais romantico? Lindo demais!
Beijos

Anônimo disse...

Olá amigo Sibarita.
Que lindo poema , tem muio de tí.
Colher os lirios da lua.
Sua claridade e pureza em escrever.
Um belo poema de amor, quem sabe a uma deusa?.
Seu sibaaaaaaaaaaa.
beijos da amiga Regina Coeli.
fique na paz.

Deusaodoya.

Corações & Segredos disse...

Noossaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Fiquei extasiada dianta de tanta beleza nesse poema,
pediria permiçao para formatar em slides..Aguardo resposta.
rosaneph@gmail.com
Obrigada pelo carinho e pela visita,,
você é 2000000000000000000..rsrs
Beijim,de RO!!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Déa disse...

Siiiiiiiiiiiiba! Cadê tu criatura? Sumiu????? Gostei do verso, e só par acrescentar: um anjo é sempre um anjo. De asa ou alma quebrada, mas mesmo assim um anjo!!!
beijos