quarta-feira, abril 13, 2011

AÇUCENA

Açucena

O tempo, sem tempo, é tempo vencido.
Se fogo tu és, a afeição é cura e procura
O ardor em teu coração, assim, escondido.
- Desejos íntimos, incandescentes juras...

Anjo meu, a lua da lua é a essência do luar,
Nas tuas chamas mandastes a luz toda nua,
Logo o céu total e ciumento veio se banhar.
-Beijos cruzados caindo na diagonal da lua...

A lua emergindo no teu crescente é rogação
Dos pensamentos girando a cobiça na cena
Em mim, um filme de mil e uma tentação...

Que do centro do teu ser os desejos inflamam
Fogosos, famintos. Céus de quereres! Açucena,
O amor é fogo, tem por origem as tuas chamas...

O Sibarita
agosto/2010

5 comentários:

Desnuda disse...

Sibarita,

Um soneto lindo...!

"Açucena,
O amor é fogo, tem por origem as tuas chamas..."


Beijos com carinho.

Olhos de mel disse...

Siba; que lindo soneto! Estava sentindo falta dos seus poemas cheios de vida e paixão.
FELIZ PÁSCOA! Saudade, viu? Beijos

Chellot disse...

O amor é fogo e Açucena é uma flor de grande beleza, assim como seu soneto.
Beijos doces e Feliz páscoa.

ELANE, Mulher de fases! disse...

SAUDADE DO CÊ!!ADOREI A AÇUCENA!!!BJO

Kátia disse...

Aiiiiii que delicia,ficar aqui.Até o Cazuza veio cantar com a menina do João Gilberto.Que lá ele fique lá onde tá,deixe só essa voz saudosa aí no ar.kkkkkkkk
Mas,menino!Tá metido esse Sibarita!basta eu dar um zig now e ele começa a se mostrar pros outros.Má rapá!Meteu bronca hein pai?kkkkkk