quarta-feira, fevereiro 13, 2013

DIABOLÔ


Alô mainha!
 
Eu sumi, foi? Foi não, é?
Lhe dei ninja, me piquei.
Para você mando um Axé
Valha-me Deus, amei!
Tô no carná da Bahia,
O coro come no enruste,
Imagine? Aqui é só folia.
Enquanto você curte
As calungas, o maracatu,
E o galo da madrugada,
O sol se abre todo azul
Para mim e na levada
Do Ijexá vou no batifum
Das negonas assanhadas
No maior ziriguidum...
O que importa? É meu vício
Amores frívolos do carnaval,
Das moças venais de ofício,
E eu ao bel-prazer do carnal!
Dengo, sou madeira de dar em doido
No trio Cheiro de Amor, a Aline Rosa
Arrochou comigo, passei o rodo
Lá ela ficou toda maliciosa
Arrepiante, as chamas acesas,
Piriguete sensual, dengosa
Dei-lhe amor de sobre mesa!
- E ela? –Aimopai!
Entregou-se, minei as suas defesas,
Um beijo aqui e acolá! Ela: Vai, vai...
Fui de todinha, ô beleza! (kkk)
Tô doidim, doidim e a Vevete?
Era toda gastura, eu todo animal
Brocador, só madeirada! Não se rete,
Se os seus olhos não veem o trivial
O seu coração não padece,
No carnaval é libera geral...
 Agora, quarta feira de cinzas,
Nós no Bacalhau do Batata.
O sol é dos amantes no céu de Olinda
Eu e você nessa paixão que se ata,
Lua nova mirando, seja Bem-vinda!
Ladeira da sé, Rua do Bonfim,
Quatro Cantos, Ribeira, Varadouro
E o Largo do Amparo no maior sarro,
Para fazermos um auê no Carmo!
Diabolô!
O segredo desse amor,
Você é meu paraíso
Seja como for, amar você
Alucina o meu juízo...
Mainha, o meu coração,
Um trio elétrico com cinco mil
Bocas de alto-falantes
Apontados aos seus ouvidos
Gritando eu lhe amo porra!
Diabolei!
 
Zé Lalado
 
BAIANÊS
 
Dar ninja, se picar – Ir embora, desaparecer sem avisar.
Mandar Axé – Desejar boa sorte, tudo de bom.
Carná – Carnaval.
O coro come no enruste – Tudo acontece escondido, o amor, o sexo escondido.
Na levada – Na manha, na calma.
Ijexá – Tipo de música baiana com pontos do Candomblé.
Batifum – Festa, alegria.
Negonas assanhadas – Mulheres afim de ganhar um um namorado
Ziriguidum – Confusão, desejo.
Carnal – Sexo.
Dengo – Chamando um mulher carinhosamente.
Madeira de dar em doido – Pessoa que sabe o que quer, retada.
Cheiro de Amor – Bloco de carnaval de Salvador, um dos mais antigos.
Aline Rosa – Cantora do Trio do Cheiro de Amor.
Arrochou – Tipo de música em Salvador que é dançar coladinho, amorosamente.
Passar o rodo – Pegar todas as mulheres.
Piriguete sensual – Mulher despojada, afim de namoro.
Aimopai – Ô meu Deus.
Entregar-se – Diz-se quando alguém não oferece resistência para namorar, fazer sexo.
Minar as defesas – Convencer alguém a namorar, fazer sexo.
Tô doidim, doidim – Estar doido, maluco.
Vevete – Ivete Sangalo.
Era toda gastura – Era toda desejosa.
Todo animal – Todo querer ao sexo.
Brocador – O homem que namora todas e faz sexo.
Madeirada – Sexo.
Auê – Fazer amor.
Diabolô – Diabólico para conseguir alguma coisa.
Porra – De vários sentidos, na Bahia é normal, usual esta palavra.
 
Zé Lalado.
 
 
 
 
 
 
 

5 comentários:

Olhos de mel disse...

Ta demais esse lalado viu? Curtiu as piriguetes, tomou todas, subiu e desceu ladeiras arroxando e ainda por cima, fez amor de sobremesa, foi?
Depois neguinho, ainda diz eu lhe amo? Que história da porra é essa, heim?
E agora, brocador? O carna, passou, a piriguete evaporou, o arrocha acabou... quero ver o que vai ter como desculpa, viu?
Falando sério Siba, só você mesmo para compor poemas com tanta categoria e tanto bom humor... Adorei, viu Zé Lalado!
Boa ressaca rsrsrsrs! Beijos

Paula Barros disse...

Começa em Salvador termina em Olinda, ai, papai, ai papai!!!
Carnaval assim bom demais, bom demais!

beijo

Uma aprendiz disse...

Zé Lalado

Cadê o Siba?
Deram sumiço nele, é?
Não tô gostando disso, não.
Mas, a poesia é linda e acaba confirmando o que digo: tão se acabando nesse carnaval.
Tomem juízo.

Bela declaração de amor, parabéns!
Dizem que nada como capim novo para bode velho. kkkkkkkkk Aproveite, mas mande o Siba de volta.


beijos

LUZ disse...

Olá, Siba!

Como tem passado?
Há quanto tempo, né?
Obrigada por seu comentário em meu blogue.
Por favor, o que significa sartiado, acho que foi essa a palavra, que deixou no seu comentário, lá no meu blogue. Não entendi.

Não gosto do Carnaval, portanto estive em casa, serenamente, fazendo arrumações físicas, logísticas e mentais.

Quanto ao seu poema, mais um escrito quente, fervendo de desejo e de paixão.

Lhe desejo um resto de boa semana.
Abraço da Luz.

Bandys disse...

Meninooo,
Cade nosso escritor?

Voltei de viagem mais to quebrada, kkkkkk


E Ivete heinnnn arrazouuu; Sera que Siba arragarrou ela??

Beijos