quinta-feira, novembro 20, 2014

NEGROS SIM, HERÓIS DE TODO MUNDO!


Caro leitor, pela passagem do dia 20 de novembro dia da CONSCIÊNCIA NEGRA, nossa postagem será uma homenagem aos nossos  HERÓIS NEGROS E MESTRE BIMBA É UM DELES, CRIADOR DA CAPOEIRA REGIONAL NA BAHIA.


LEIA, ASSISTA AOS FILMETES DE DOIS MINUTOS SOBRE BIMBA e OUTROS HERÓIS NEGROS BRASILEIROS.  COM CERTEZA SAIRÁ ENRIQUECIDO LITERALMENTE, BOA DEGUSTAÇÃO!

PARE A RÁDIO HUMAITÁ AO LADO. 

Consciência Negra

A dor e o sofrimento históricos não impediram o povo negro de contar e cantar suas lutas, sonhos e esperanças. Na música, na dança, na arte, na jinga, nas cores vivas, na religiosidade, enfim, no modo de viver, expressa-se toda uma história que não foi contada. 

O Sibarita


EDSON CARNEIRO, NEGRO, BAIANO.


TIA CIATA, NEGRA, BAIANA.


RAIMUNDO SOUZA DANTAS, NEGRO, SERGIPANO.


VERIDIANO FARIAS, NEGRO, GAÚCHO.


MARIA AUXILIADORA, NEGRA, MINEIRA.


LAUDELINA DE CAMPOS, NEGRA, MINEIRA.


ANA DAS CARRANCAS, NEGRA, PERNAMBUCANA.


MACHADO DE ASSIS, CARIOCA, NEGRO.


CAROLINA MARIA DE JESUS, NEGRA, MINEIRA.


TEODORO SAMPAIO, NEGRO, BAIANO.


BENJAMIN DE OLIVEIRA, NEGRO, MINEIRO.

SOBRE O MESTRE BIMBA.

Foi criador da Luta Regional Baiana, mais tarde chamada de Capoeira Regional.

Manoel dos Reis Machado, o Mestre Bimba, nasceu no dia 23 de novembro de 1899, no bairro Engenho Velho, freguesia de Brotas, Salvador-Bahia. Filho de Luiz Cândido Machado, ex-escravizado, descendente de banto e mestre do batuque, e Maria Martinha do Bomfim (descendente de índios).
Mestre Bimba foi iniciado na capoeira antiga pelo Africano Bentinho (Nozinho Bento), capitão da Companhia de Navegação Baiana, durante aproximadamente quatro anos. Com essa experiência, Mestre Bimba ensinou a capoeira antiga por dez anos. O local das aulas era conhecido como “Clube União em apuros”, no bairro da Liberdade, habitado majoritariamente por negros.

No final da década de 1920, Mestre Bimba, após anos de experiência, percebeu a possibilidade de misturar elementos da chamada Capoeira Tradicional com o batuque (luta do Nordeste brasileiro), desenvolvendo, assim, um novo estilo, com movimentos mais rápidos e acompanhado de música. Com a junção do batuque com a capoeira de Angola, surge a Capoeira Regional, considerada arte genuinamente brasileira.

Em 1932, Mestre Bimba abre a primeira academia especializada em capoeira, no Bairro Engenho Velho de Brotas. Somente em 1937 obteve, na Secretaria de Educação, Saúde e Assistência pública, o registro de diretor de curso de Educação Física, que estrategicamente o levou a redefinir o seu local de treinamento como Centro de Cultura Física Regional, inserindo então a Capoeira Regional no campo do esporte. Cabe salientar que, oficialmente, foi a primeira academia de capoeira a ter seu alvará de funcionamento, datado de 23 de junho de 1937. Nesse mesmo ano, fez a primeira apresentação do seu trabalho para o interventor general Juraci Magalhães, onde estiveram presentes autoridades civis e militares, entre outros convidados ilustres.

Em 1939, Mestre Bimba ensinou capoeira no Quartel do CPOR. Em 1942, instalou sua segunda academia. Em 1949, o escritor Monteiro Lobato o conheceu e lhe dedicou o conto “Vinte e dois de Marajó”, que conta a história de um marinheiro capoeirista. Em 23 de julho de 1953, exibe-se no Palácio do Governo, sendo governador eleito Juraci Magalhães (o mesmo que assistiu à apresentação de Mestre Bimba em final da década de 1930), e para o então presidente Getúlio Vargas, que, tendo ficado tão impressionado, declarou que a capoeira era o único esporte verdadeiramente nacional. Vargas terminaria revogando a lei que criminalizava tanto o candomblé como a capoeira, muito embora com limitações para as práticas do candomblé, a capoeira gozava da liberdade esportiva.

Mestre Bimba foi um exímio lutador e grande educador. Colocava regras para os participantes da Capoeira Regional, tais como não beber, não fumar, ter boas notas na escola, dentre outras. Com seu método, foi responsavel por tirar a capoeira da marginalidade.

Em 1973, Mestre Bimba, por motivos financeiros, mudou-se da Bahia para Goiânia, e em 5 de fevereiro de 1974 veio a falecer vitimado por um derrame cerebral. Em 12 de junho de 1992, a Universidade Federal da Bahia lhe concedeu o título de Doutor Honoris Causa.

Mestre Bimba criou, a partir da versão original trazida da África pelos escravos, uma arte marcial genuinamente brasileira. Com sua criação, foi inserido pelo estudioso Muniz Sodré como fazendo parte do “Ciclo heroico dos negros da Bahia”.
Informações Relacionadas
http://pt.wikipedia.org/wiki/Capoeira. Data da pesquisa: 18/8/2013.


Revista de História: http://revistadehistoria.com.br/secao/artigos/mestre-bimba. Data da pesquisa: 18/8/2013
. Blog do PNLD – Moderna Digital:
 http://pnld.moderna.com.br/2011/11/23/mestre-bimba-e-a-historia-da-capoeira/. Data da pesquisa: 18/8/2013.
Associação de Capoeira Mestre Bimba:
True Net – Mestre Bimba: http://www.truenet.com.br/neto/mbimba.htm. Data da pesquisa: 18/8/2013.

O Sibarita

8 comentários:

São disse...

O meu respeito e admiração !

Que em breve, muito em breve, deixe de existir a necessidade de celebrar a força da gente negra!!

Abraço grande

Olhos de mel disse...

Siba essa consciência deveria estar sempre presente em todos nós. Principalmente nosso país, especialmente a nossa Bahia, que é pura miscigenação. Onde o negro tem uma influência enorme, sobre nossa raça.
Deveríamos ter muito orgulho desse povo sofredor, que veio nos trazer uma rica cultura, uma lição de força e perseverança...
Bela postagem Siba! Uma homenagem mais que justa.
Parabéns, Siba! Negão? Somos todos os baianos, que recebemos o sangue dessa raça. E, embora nem sempre tenhamos a cor, temos inscrito em nosso DNA, essa influência.
Beijos

Lu Nogfer disse...

Ô moço Sibarita, ótimas as tuas informações! E que belíssima homenagem a esse povo que representa a força brasileira e merece todo o respeito.

Adoro vir aqui e ler as tuas postagens sempre tão autênticas!

Beijo moço.
E muito obrigada pelo carinho!

Bandys disse...

Ô moço,

Todo dia é dia de consciência. Estou com a São ai de cima. Que em breve deixe de existir a necessidade de celebração da consienciqa negra.

Mas tu é negão é?????? hahahahaha sabia não. Pensei que tu fosse branquelo azedo.

Amo capoeira. Salve todos os mestres capoeiristas. To mandando a capoeira carioca pra voce dar o seu aval.

https://www.youtube.com/watch?v=4Mf_PTB8juc

quando vc aprender a dançar assim, eu vou ate a Bahia.

E puxando um pouco a sardinha pro Rio de Janeiro,
temos Nelson Sargento,Cartola, Clementina de jesus, Jovelina Perola Negra. E tantos outros.

Bela postagem.

bejos bom sábado , divirta-se vai aprender Capoeira.
hahahahahaha

Bandys disse...

Voltei,

A saudade é de braga??????

Onde é braga?? hahahahahaha

beijos

Claudinha ੴ disse...

Puxa Siba! Parabéns, você fez um documentário, fez uma belíssima homenagem. Bj

Kátia disse...

Ô esse menino!cadê você?

Postagem porreta!Bem detalhada e profunda.
Sabia que eu já fiz capoeira um tempo?
rsrsrs
Viva Mestre Bimba!Viva a Bahia!!!Viva nós que somos baianos! uh uh!

Beijos!

ॐ Shirley ॐ disse...

Oh! meu rei...estou deixando um abraço aqui pra você.
Muita paz!