domingo, novembro 23, 2014

CLARIDADE

Claridade

Quando vossa claridade candeia na minha porta
A lua, então, nos meus passos beija a noite mansa
Na luz do vosso coração e, em mim, o amor estanca,
As estrelas piscam por vós e nada mais me importa.

É que na escuridão eu me mostro para vossa luz.
Aqui, agora, os caminhos vêm e em tudo irradias
Como faróis acesos ao findo das minhas agonias
Se em mim habitas anulando toda minha cruz.

Senhora e musa, a chama dos sonhos me consome
E, à noite na solidão finismundo da tua ausência
A lua socorre e as estrelas formam o vosso nome.

Não há como fugir nos desejos dos nossos azuis,
No infinito a lua dança em círculo e nessa paixão
Estou mesmo afogado na enchente da vossa luz...

O Sibarita

www.radiohumaita.com.br


10 comentários:

Vanuza Pantaleão disse...

Afogar-se na enchente da luz. Devassar a escuridão com a claridade que temos na alma.
E tens muita luminosidade, Siba!
Esse coelho ainda vai aprontar muita coisa estranha...[risos]
Já tô postando capítulo novo e te convidando pra me dares aquela força, aliás, nem precisava, pois que és amigo de verdade, meu baiano querido.
Canteiros de Fagner e com versos de Cecília Meirelles. Coisa mais linda, né?
Migo, uma clara semana para ti!!!Bjsss

Bandys disse...

MelDeussssssssssss!!!

Que lindo!!
Se eu comentar isso vou estragar essa obra prima. Bela, Belo, Lindo.!!!

Que cha de pique??? Ta doido é. Vim umas duas vezes no outro.
Tu ta amando tanto que nem nota minha presença. kkkkkkkkkkkkkkkk
Ainda vem dizer que tomei cha de pique. Tu ta é doido.

Eita mininuuuu presta atenção. kkkkkkkkkkkkkk

Beijos Siba! Eu perdoo. kkkkkkk

Olhos de mel disse...

Siba que delícia ler seu soneto! A lua sempre iluminada e cortejada...trazendo o romantismo sensual entre os lindos versos!
Amei!
Boa semana! Beijos

Uma aprendiz disse...

Oi, Siba

Ler seus poemas é como compartilhar sua intimidade.

No caso desta, me senti observando teu reflexo no espelho enquanto escrevias esta carta para sua amada.

Li e reli seus versos e não consegui separar o etéreo do real. Enfim, você me encanta falando de amor.

Continue assim: um eterno apaixonado.

beijos



Claudinha ੴ disse...

Siba... Soneto da luz de candeia... Sua musa, a lua, perseveram em seu imaginário acendendo as lamparinas de nossos corações! Lindo poema! Bjs!

Claudinha ੴ disse...

Meu caro Siba, deste afogamento não quero te jogar a boia salva vidas... Quero que ame mais e mais e se perca nestas águas, porque isso é muito bom!
Lindo soneto!
Um beijo!

Kátia disse...

Sibarita:

Não quero soar antipática,mas toda vez que leio seus poemas e/ou sonetos sinto-os como se fosse para mim...

Coisa de baiana que se acha né não esse menino?kkkkkkkkkkkkk

Mais uma para meu acervo.

Ah! E a Soterópolis está a meu ver muito linda!Fui aí tomar um 'xêro' de mar e nadar na Baía de Todos os Santos ao som da Daniela Mercury cantando 'rainha má',eitcha terra boa môpai!

Eu volto viu?E vou lá pra Jauá,se prepare!

Beijos"

O Sibarita disse...

Ô moça baiana retada! kkkkk E quem sabe se não é para você mesma? kkkkkkkkk

E obrigado por colocar no seu acervo! kkkkkkk

Pergunto que tal uma letra para vc musicar? kkk

Zé Lalado é letrado nisso! kkkkkkkkkk

O Sibarita

Anônimo disse...

Que obscura e nítida claridade! E tanto desejo, ai!

Lu Nogfer disse...

Olá moço!

Aqui, sempre uma postagem com ótimas informações e sobretudo, repleta de sentimentos a encantar que tem a sorte de te ler.
Parabéns pelos lindos versos de amor, talentoso poeta.

Beijos e mil vezes obrigada pelo carinho nos bloguitos.
Te respondi la no cantinho de mimos, viu!
La, eu sempre respondo.rs

Beijo.