quinta-feira, agosto 10, 2006

Prelúdio


Há de se exprimir esse derramamento de amor
Letras por letras, letras vivas que a boca não diz!
Eu sei que o mesmo coração que molha a pena
Expressa nos versos o desejo, o instinto da paixão...

Mas, o amor faz medo... A confissão espanca, arde,
Sangra impotente, dá nó e morre presa na garganta.
Enfolho então o grito abafado, o pensamento ferve
Vulcão sentimental, incandescente e lava reticente...

O coração traspassado na paixão fala e fala nos versos
Na mente, a ânsia do amor, escorre em retalhos de papel!
-Guardo, no entanto, nos meus olhos os desejos imersos...

Os debruns das palavras tornam-se um turbilhão
A flor, o canto, o olor e o céu de quem escreve!
-Diga ai coração com seis cordas de paixão...

O Sibarita
Set/03

3 comentários:

Florence Elizabeth Demarchi disse...

Oi Sibarita
O amor faz medo,
a paixão traspassa o coração....
E as palavras contam essa história.
E sua poesia convida para uma viagem ao mundo do amor e da paixão.
Parabéns

Bel disse...

Adorei.
Lindo

naturalissima disse...

Olá
Obrigada pelo teu simpático comentário no meu blog.

Dei comigo, agora a ler um bonito poema de amor.
Onde existe amor, é belo...
Todos os poemas, as pessoas, as coisas, os lugares, a música, a arte, .... em tudo onde o amor vive, é simplesmente maravilhoso.

Um beijinho
daniela