quinta-feira, janeiro 14, 2010

LAVAGEM DO BONFIM

Aqui a participação do povo na lavagem.

Vídeo com Mariene Castro cantando a música de Walmir Lima "Ilha de Maré" que simboliza o povão vindo da ilha para participar da lavagem do Bonfim! Demais!

O sagrado e o profano

Valha-me Cristo, é Festa do Bonfim, eu todo de branco,
O profano e o sagrado fazem a lavagem de mãos dadas.
Tenho fé, vou a pé! De olho nas moças, não sou santo,
Jogo as cajás e no toque do agogô vou comendo água...

Glória a ti neste dia de glória, o povo canta, Epá Babá!
Coloquei os meus patuás, os meus colares de Oxaguiã
Comigo a fé no Senhor do Bonfim e no meu Pai Oxalá
Mas, em verdade, levo também o Opaxorô de Oxalufã...

Gloria a ti meu Senhor do Bonfim, e dai-nos a graça divina,
Tu és a esperança, o eterno farol, a aurora dos lares baianos,
O redentor que nos conduz a conquistas desta sagrada colina
Há duzentos e cinqüenta anos aos teus pés nós te louvamos...

Elevo as mãos ao alto oro a paz, o amor e a fraternidade
Estrelas de consolo sobre os homens entreabriu-se no azul
Do céu no Bonfim para a remissão ao mundo das maldades
Transmudando o torpor das destruições em pétalas de luz...

Minha obsessão, as baianas com os jarros cheios de água de flor
Fazem a lavagem das escadarias e eu recebo as benções, afinal
Na mistura de todas as raças, sol a pino, vou tocando meu agogô
E na levada do Ijexá me entrego as moças no toque do berimbau...

Núncia do céu, oh glória a ti, dê-nos a graça nessa procissão
Vixe mainha! É numa nice, quem tem fé, vai a pé ao Bonfim
É lavagem! Sou boca de zero nove ao Deus dará, na emoção
Subo a Colina, no sagrado: oro por nós! No profano: ai de ti...

Ai amor, aconchambrei da Praça Cairu até o Bonfim e nem te falo
Misericórdia meu Deus! Tô que to, é tome e tome! Todinho arisco,
Só alegria! Tem cada negona retada. Sei não, viu? Cantei de galo
As piriguetes, cada coxa! Não agüentei não, vixe! Pedi foi pinico...

Zé Corró

BAIANÊS E IORUBÁ

Epá Babá! – Saudação a Oxalá.
Patuá – Amuleto que muitos baianos usam.
Oxaguiã – É Oxalá jovem o único orixá fun-fun que guerreia, usando para isso uma espada e um escudo que recebeu de Ogun. O tipo OXAGUIÃ é um jovem guerreiro combativo. É habitualmente alto e robusto, mas não é agressivo nem brutal. Não despreza o sexo e cultiva o amor livre. É alegre, gosta profundamente da vida, é falador e brincalhão. Ao mesmo tempo é idealista, defendendo os injustiçados, os fracos e os oprimidos. Orgulhoso, sedento de feitos gloriosos, às vezes, uma espécie de D. Quixote. Os seus pensamentos originais geralmente antecipam os da sua época. Ele é o nascente.
Oxalá – É Senhor do Bonfim no Candomblé. Filho de Olorum, orixá dos orixás. Traz o cetro sagrado chamado opaxorô, onde comanda os três mundos existentes; material, espiritual e purgatório. OXALÁ é o detentor do poder procriador masculino. Todas as suas representações incluem o branco. É um elemento fundamental dos primórdios, massa de ar e massa de água, a protoforma e a formação de todo o tipo de criaturas no AIYE e no ORUN. Ao incorporar-se, assume duas formas: OXAGUIÃ jovem guerreiro, e OXALUFÃ, velho apoiado num bastão de prata (OPAXORÔ). OXALÁ é alheio a toda a violência, disputas, brigas, gosta de ordem, da limpeza, da pureza. A sua cor é o branco e o seu dia é a sexta-feira. Os seus filhos devem vestir branco neste dia. Pertencem a OXALÁ os metais e outras substâncias brancas.
Opaxorô – Bastão de Oxalá quando ele assume a forma de um Orixá velho.
Oxalufã – Oxalá velho. O tipo físico de OXALUFÃ é frágil, delicado, friorento, sujeito a resfriados. Compensa sua debilidade física com grande força moral, e seu alvo à realizar é a condição humana no que tem de mais nobre. É fiel no amor e na amizade. Oxalufã é o poente.
Vixe mainha! – Olhe meu amor.
É numa nice – É numa boa. (nice, pronuncia-se: naice).
Quem tem fé, vai a pé ao Bonfim – Dito popular baiano, fazer todo cortejo da lavagem saindo da Igreja da Conceição até a Igreja do Bonfim a pé, uma distância de uns 10km.
Boca de zero nove - A pessoa que se diz retada, não tem tempo ruim.
Ao Deus dará – A vontade, sem preocupações.
Subo a Colina – Sobe a ladeira do Bonfim a igreja fica na Colina.
Minha obsessão – Meu desejo.
Arrocha – Ritmo musical nascido no recôncavo da Bahia na Cidade de Candeias que leva as pessoas ao delírio por ser um ritmo super dançante, ritmo contagiante.
Ijexá – Ritmo musical tipicamente baiano nascido do Candomblé.
Aconchambrar – Namorar.
Cantar de galo – Cantar vitória antes do tempo.
Piriguete – Mulher desejosa, mulher afim de namorar, de sexo.
Vixe – Não é possível!
Pedir pinico – Não agüentar, pedir socorro, sair de baixo.
Ôxem – O que é.
Caruara – Não agüentar, ficar tremendo.
Oxente - O que é isso? Qual é o caso?
Tome e tome – Fazer muito sexo.

15 comentários:

SAM disse...

Zé Corró!!!


Eu aí também ficaria doidinha! Aliás já estive aí na época da lavagem, mas estava só com as minhas meninas, ainda bem criancinhas e não pude me soltar hahahahahahahah. Agora irei ( tenho fé!) descansada pra ver e desfrutar todas as belezas que a Bahia nos oferece.

Uma postagem que é só formosura! Videos e poema. Ow delícia! Obrigada.

Beijos!

paula barros disse...

Eu vi na televisão a lavagem, deve ser uma cena bonita.

Essa forma que você escreve, sério e brincando é muito gostoso de se ler.

beijo

Guacira Maciel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Uma aprendiz disse...

Oi, Corró

Eu vi na TV o tumulto das comemorações. Muita gente, né?

A Bahia é terra de festa, festa de todos os santos kkkkkkkkkkkkkk

Seu poema descreve bem tudo isso.
Estava com saudades de você, menino.
Por onde andou?
Some não, fio.

beijos, juizo nessas festas, cuidado com a negona kkkkkk

Ana Cristina Quevedo disse...

A primeira ve que fui ver a lavagem, vi pouco: chorei muito.
Estar ali, um sonho que sempre quis realizar, foi demais pra mim, desabei.

Das outras vezes, consegui assistir e acompanhar tudo.
É difícil descrever esse ato tão maravilhoso, cheio de fé e significados ocultos.
Mas voce conseguiu.
E me emocionei de novo.

Obrigada, meu caro amigo.

Beijo

Ana Paula Duarte disse...

Eitha coisa bouaa!
Pena que enquanto uns se refestelavam em Ssa na festa do Bonfim eu enfrentava uma chatíssima prova de Filologiia!
Adorei o baianês e o iorubá...estava tratando disso um dia desses em um seminário.
É engraçado ver as variantes do português e as influências estrangeiras!
Paz!
Bjo.

Pena disse...

É fabuloso neste Baile entre o Profano e o Sagrado.
Um genial e fantástico poeta num Ser Humano GIGANTE.
Parabéns sinceros.
Abraço de amizade.
Sempre a respeitar o seu ENORME talento.
Adorei.
Um poetizar perfeito.

pena

Bem-Haja, precioso e divinal amigo.

Deusa Odoyá disse...

Oi meu lindo amigo Corró.
Fui na festa da lavagem à muitos anos, aonde a igreja ficava aberta e se podiam lavar lé dentro.
Muito emocionante, linda e de muita força e fé.
Você , a descreve com a mesma intensidde que ela nos passa pela tv.
Muiuto linda, bahia de todos os santos, bençãos dos orixás.
Parabéns pelo vídeo.
Corró, uma semana de muitas felicidades e paz.
Dia ga Siba que estou com saudades dele e painho.
Beijinhos doces a todos.
Te dolo também.
Não se descuide nessa festa, senão vais apanhar da negona, viuuuuuuu
Regina Coeli.

Bandys disse...

Um dia eu vou ver a Bahia de perto.

beijos

Pena disse...

Genial Poeta Amigo:
"...Valha-me Cristo, é Festa do Bonfim, eu todo de branco,
O profano e o sagrado fazem a lavagem de mãos dadas.
Tenho fé, vou a pé! De olho nas moças, não sou santo,
Jogo as cajás e no toque do agogô vou comendo água..."

Uma combinação extraordinária entre o Sagrado e o Profano. De uma belíssima sensação do seu sentir perfeito.
Fabuloso.
Abraço amigo forte de uma sincera amizade perante tanto brio e fantástico maravilhar poético admirável.

pena

Maria disse...

Qualquer dia eu fujo para a Bahia...
Me aguarde!!!

Beijos

Uma aprendiz disse...

Oi, Siba

quando der, passe no Evite Rugas tem uma homenagem à vc lá.

beijos

Grace Olsson disse...

Siba, estive em Salvador, em dezembro e fotografei o Dique do Tororó...lindo..bjs e dias felzies

Genny Xavier disse...

Olá, poeta
Há algo de mágico nesta nossa Bahia de todos os santos...de todas as belezas e encantos...
" Ô Bahia...Bahia que não me sai do pensamento"...
Parabéns pelos versos alegres...Também adorei a mostra do dicionário baianês...rsss.
Beijos
Genny

Olhos de Mel disse...

Eita Siba porreta viu? Adoro Mariene de Castro! Eu não fui, mas gostaria de assistir o show dela.
Sua maravilhosa poesia, traz o encanto das tradições da nossa terra. Glória a ti Senhor! Que nos deu a glória dessa terra!
Beijos