quinta-feira, junho 04, 2015

INFINITO ÍNTIMO

Infinito íntimo

O infinito íntimo. Sim! Dá para entender
Nele, admiração e desejos em processão,
Círculo imaginário, masturbação e querer,
Na virtualidade, a profundeza da paixão...

Jogo de espelhos, reflexo do céu aqui e aí,
O vento brincando e mexendo no teu olhar
Sagração dos céus, primavera de jasmim,
O que ruge ou brada, vontade de se estar...

Lado a lado na fronteira dos sentimentos
Prelúdio, átrio das expressões inerentes.
Ao amor germinado no sopro dos ventos
E espargidos nas confissões adjacentes...

De nós em palavras ditas no ar rarefeito,
O sublime do amor que agonia o coração,
Serpente sutil que dilacera o nosso peito
E se alimenta de saudade, bílis e solidão...

Mas, as harpas dos dias vibram afetuosas,
O que floresce candeia a noite que respiro
E o poeta abre as suas poesias amorosas
Nelas, nossas vontades e nossos suspiros...

O Sibarita

Festa de São João? É no arraiá da Humaitá!
www.radiohumaita.com.br

13 comentários:

Vivian disse...

"na virtualidade as profundezas das paixões".

estas mesmo que desconhecem distâncias,
quando adentram os corações...

beijos, poeta!

Ghost e Bindi disse...

Este amor dramático, que é mais denso nas coxias que no palco, rasgando o peito dos atores/personagens, neste jogo de espelhos em que não se sabe o que é ilusão, o que realidade...
Belíssimo, amigo poeta!
Saudações de nossos corações ao seu

Bíndi e Ghost

São disse...

Na fronteira dos sentimentos... está esta música linda de Dia de Índio !

Abraço forte, amigo meu

Chellot disse...

Olá amigo. Já estou ouvindo a vibração dessas harpas.
Isso mesmo! Abra suas poesias amorosas e nos encante com elas.

Se tiver face me adicione lá.
Pode procurar pelo nome do livro Labirinto do Sol e da Lua que te adiciono.

Beijos doces.

Lu Nogfer disse...

Oi Sibinha.

Respondi teu comentário la viu. Te expliquei com todos os pingos nos is o motivo de minha ausência. Sabes que sou escandalosa né.kkkk mas ja estou voltando.. Muito obrigada e até mais.

Ah a tua poesia... Que lindeza, gente. E por isso que não consigo ficar longe por muito tempo dessa nossa blogosfera. A gente vicia em ler coisas boas assim.
Beijocas

helia disse...

"E o poeta abre as suas poesias amorosas
Nelas, nossas vontades e nossos suspiro..."
muito lindo este Poema !

helia disse...

Muito lindo este Poema !

Bandys disse...

Oieeeeeeeeee

E o poeta abre as suas poesias amorosas
Nelas, nossas vontades e nossos suspiros...

Que bom que eu estou sempre surfando nessas asas.
As vezes ate caio, hhahahahahahaah mas é assim mesmo,
cai e levanta,
Beijos

ONG ALERTA disse...

Muito lindo, abraço Lisette.

Vieira Calado disse...

Gostei do texto... e, claro, da música e cantora. Lindo!

Kátia disse...

"De nós em palavras ditas no ar rarefeito,
O sublime do amor que agonia o coração,
Serpente sutil que dilacera o nosso peito
E se alimenta de saudade, bílis e solidão..."

Voltei para acabar com a sua (nossa) saudade!
E o couro tá comendo na festa de Santo Antonio não é esse menino?
:-D
Beijos,cheiros,abraços...e eu volto,não chore mais não!
:-D

Pérola disse...

Inspirado e forte a tua poesia.

Gosto.

Beijo

Olhos de mel disse...

Siba que lindo poema! A verdade é dura pra uns e impossibilidades para outros. Mas, os sonhos continuam eternizados.
Siba, desculpe o link la do blog, esqueci que retirei aquele vídeo porque estava com problemas no link e já recoloquei por lá. Depois que troquei foi que percebi, era alguma coisa no youtube. kkkkkkkkkkkkk

Bom domingo! Beijos