sexta-feira, junho 19, 2015

NIGRINHA

Nigrinha

Aimôpai! Feche a cara, viu? Não como nada do seu alface,
Você tá andando de cara aberta à toa, é todinha assim, é?
Em Jauá uma flor tenra agonia o meu juízo e sem disfarce,
Toda cabaço com corpo violão quer toda hora, até em pé!

E você está me querendo, é? Vou todo seu safadinho, viu?
O meu pensamento adeja e submerge nas suas entranhas,
Não brinque com fogo não! Vai aguentar, vai fia? Tô a mil
Olhando aquela sua foto, meu corpo estremece na sanha...

Do seu corpo mundano com fogaréu supremo em chamas.
Oie! Mata lá eu, mata sua ordinária, venha gostosa, venha!
Ah, o desejo zanza, dobra nas suas curvas macias, lhe toma
Na relva negra da sua pelve, o pomar exíguo, a sua brenha...

Que me leva e me faz todas as fantasias do seu corpo feitiço,
Ai mainha! Desse Jeito coloquial, quentura de astro, paraíso!
Ó delícia, emoções despudoradas que eu me atiro, me atiço,
A sua fragrância ditosa, alcance, ápice do sexo, perco o juízo...

Rebentou Jauá:  o sol, a lua, o mar, o céu. Tudo aqui tão zen,
Doideira de estripulia, assim, a geografia da vadiagem se faz,
O seu corpo de lua todinha vadia, morro ao seu cio meu bem,
Dos seus lábios: fruta cajá, abafabanca, sabor eu quero mais...

Eu como, eu como você!

Zé Lalado

BAIANÊS

Aimôpai – Ai meu Deus.
Nigrinha  – Amorosamente chamando uma mulher.
Feche a cara, viu? – Fique séria, seja séria.
Não como nada do seu alface – Não acredito em nada da sua conversa.
Você tá andando de cara aberta – Você está rindo demais, alegre, muito alegre.
À toa – A vontade, sem problema.
Jauá – Lugarejo de praia no litoral norte de Salvador.
Uma flor tenra – Um donzela, uma moça jovem.
Agonia o meu juízo – Instigar a pessoa com atos sensuais.
Todinha cabaço – Toda virgem.
Corpo violão – Corpo bem feito, desejoso.
Quer toda hora, até em pé – Que fazer amor toda hora até em pé.
Você está me querendo, é? – Você está com desejo de fazer amor comigo?.
Vou safadinho, viu? – Vou bem gostoso, bem desejoso.
Não brinque com fogo não – Não brinque com o perigo.
Vai aguentar, vai? Tô a mil – Vai encarar, estou com tudo.
Fogaréu supremo em chamas – Esta com o cio pelas alturas.
Mata lá eu, mata-me – Me mata de sexo, mata.
Ordinária – Mulher que sabe tudo de sexo.
Venha deliciosa, venha!  - Venha cheia de desejos.
Perco o juízo – Ficar doido.
Vadiagem – Fazer amor gostoso toda hora.
Abafabanca –  Tipo de picolé de fruta existente na Bahia é feito na cuba de gelo.
Eu como, eu como você! – Eu faço amor com você. Comer  tem esse sentido de sexo também.

Zé Lalado

HUMAITÁ WEB RÁDIO, O SÃO JOÃO DE VERDADE! 
www.radiohumaita.com.br


7 comentários:

Ghost e Bindi disse...

Que rico dicionário da luxúria...!Uma ode à sensualidade brejeira, bem brasileira, cheia de dengo e carinho.
Um grande abraço

Bíndi e Ghost

Vieira Calado disse...

Este textos com sabor popular são sempre interessantíssimos.
Não era preciso o diccinário, tampouco.
Um forte abraço!

ONG ALERTA disse...

Brasil enorme cada região com suas expressões, abeaço Lisette.

Vieira Calado disse...

A propósito de S. João e os seus votos, devo dizer-lhe que o meu favorito dos 3 santos que compõem o ramalhete dos "Santos Populares", aqui em Portugal, é Santo António, que é (ou era) o padroeiro de namoricos e casamentos.
Digo era, porque, entretanto, apareceu por cá um tal S. Valentim, vindo da América... e que roubou o lugar ao António...
Ora, Santo António é um bom santo, com uma vastíssima folha de serviço em prol dos lares, e dos casais. Nesse tempo, era raro um divórcio,
Agora, com este Valentim, é o que se vê. Casam-se descasam-se ao fim de semanas...
E só podia ser. Vem duma cultura diferente onde os valores são outros..
Um forte abraço!

Vanuza Pantaleão disse...

Danadinho de bom esse poema.
Mas cadê o Van Gogh aqui?
Ahhh, fui enganada! Hahahaha
Gostoso demais!!!Bjssss

Vanuza Pantaleão disse...

Danadinho de bom esse poema.
Mas cadê o Van Gogh aqui?
Ahhh, fui enganada! Hahahaha
Gostoso demais!!!Bjssss

Kátia disse...

Eita que é um tome que tome lascado!Essa nigrinha é retada!
=)