sexta-feira, janeiro 27, 2012

VÓS



Vós

Vós que escreves, escreves mares de palavras, medo/ledo,
Dos vossos olhos tão nublados vejo solidão, noites/açoites.
Nas brenhas da pena, confins dos anseios, rochedo/rastejo,
Quereres de ontem, arrebata na essência, decorre/escorre...

Vós que vens do secreto, de auroras virgens, amanhecer/ser
Alucinante de sol intimo, incenso de turíbulo, aroma/assoma
Boca viçosa, perfume de romã, murmúrios velados, dizer/ter
Deleites e delírios da volúpia carnal purpureada, dona/fona...

Dentre auréolas de luzes vertiginando este soneto, jogo/rogo
Em mim, o arcano inquieto coruscando nos céus, fascina/sina
Exalação fresca, toda fragrância da escrita: cor, tons e luz...

Deusa lasciva de palpitantes seivas, suprema chama, uis/ais
Aportados na fúria de desejos pagãos impávidos, corais/cais
Brisa, luar sensual e nervoso, mãos entrelaçadas, tudo flui...

O Sibarita

12 comentários:

Anônimo disse...

Uma noite abençoada pra vc. Sibarita!!!
Esse poema nos mostra desejos obscuros, carnais e fantasiosos.
Há momentos melancólicos, misteriosos, tal como o nosso espirito que, sendo radioso como o sol, se disfarça com um véu, como se fosse a lua que se renova em sentimentos.
Tudo fluirá perante a verdade de uma culpa, sintonia de uma vida.
Nesse poema há diversos pontos que nos levam a ver claramente os desejos de sua alma.
Vc. mascara sua saudade, para sobreviver sem sua personagem.
Uma semana de muitas alegrias, paz, luz, e amor.
Que mestre Jesus o abençõe hoje e sempre.
Beijinhos doce em seu coração de poeta sonhador.
Regina Coeli

Anônimo disse...

Meu querido Siba.
Vc. fala muito de solidão...
È do silêncio interior que nos vem as reais indicações sobre o caminho a trilhar...
Nas horas tecladas nessa saudade, nesse momento sua imaginação paira cheia de desejos e fantasias.
Enquanto a noite brilhar, nesse luar de Jauá, a vida lhe será bela...
E de versos em versos vc. vai rasgando céus.
Pois em cada verso que escreves, é uma saudade guardada, um amor esperado, um sonho sonhado, um beijo dado.
Uma pétala de sua alma.
Siba, os poetas são muito sonhadores e as vezes a realidade é mais cruel que a imaginação.
Seus poemas retratam seu interior, um poeta livre e sonhador.
Um final de semana regado a muitas flores e paz.
Muita luz e amor em sua vida.
Beijos em seu coração.
Regina coeli

Olhos de mel disse...

Querido Siba;

Um soneto cheio de encantos, cores e paixão... Um chamamento palpitante, com cheiros sabores e emoção...
Lindo demais!
Bom fim de semana! Beijos

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

É meu caro poeta quando mãos se entrelação o amor acontece devagar sugando beijos suspiros e quem sabe.....
Linda poesia!

Bandys disse...

Vos que escreves e que deixa a gente de boca aberta! Aff

Siba tive que fazer o bandys 2 pra acabar com aquilo.
O um aqui permanece porque preciso copiar os endereços.

Mas se |Deus é comigo quem sera contra ne?/

E agora vou me picando porque preciso tentar escrever algo pra quando vc for tomar o cafe, fazer a leitura.

beijos no coração

vieira calado disse...

Uma inovadora maneira de escrever,

e que resulta bem!


saudações poéticas!

Paula Barros disse...

O seu vós, me parece que decifra uma voz, uma voz de alguém que escreve e que você consegue escutar além do que está escrito.

Um entrelace de vós...de voz...de tudo mais que flui.

beijo

Vanuza Pantaleão disse...

Siba, amigo querido!
Gosto do gosto da tua Poesia. Brasileira, cheia de fragâncias, sensual...fluindo...fluindo para dentro de nós.
Uma deliciosa semana nessa Bahia que eu adoroooooo!!!!
Beijos!!!!

São disse...

De mãos dadas tudo é mais fácil...

Um abraço por sobre o mar-oceano

Bandys disse...

Salve Salve,

Cheguei!!
Vos ainda ta fluindo?
Ah é bom fluir.

Palavras alma do poeta
são elas que expressam amor
magia e os sentimentos
mais diversos.
Na modernidade da
comunicação são
substituídas por desenhos
singelos que nos tocam o coração
mas mesmo assim a saudade
das palavras fala mais alto.
Palavras, palavras,
nos fortalece, nos ensina
a ver e sentir a alma
do poeta!

Um beijo pra vc moço, cuida da sua cabeça que é onde sai seus escritos que a gente lê.
Afff,

tu num quer nada nnão ne??
Pois bem

Olhos de mel disse...

Siba; que o canto da Yemanjá reverbere em seu coração, para que seus poemas sejam cada vez mais, cheios de encantos...
Beijos

Uma aprendiz disse...

Oi, Siba

Bom ter esta oportunidade de reescrever meus comentários.

Hoje, depois de ler os posteriores, noto que aqui se abriu um leque nas suas reflexões.

Longe de querer "supor que entendi", mas falo das impressões que seu texto me causou. E não se ria de mim. rsrsrsr

Na primeira estrole parece até um auto retrato, um reflexo no espelho de si mesmo e seus entimentos. No segundo é a imagem que fazes ou sentes de alguém. No terceiro vc volta a refletir sobre seus sentimentos e o que escreves e, finalmente, o encontro entre dois solitários que se querem mas não dizem o que realmente sentem um pelo outro.

Um monte de besteiras, né? kkkkkkk
Faer o quê. Estou sempre entender o inalcançavel.

beijos, meu amigo