terça-feira, outubro 09, 2012

A M O R A S

 
Amoras

Não faço poemas por nada.
Faço-os por ti, por sonhos,
amoras de mel...
A um passo de mim,
teus olhos invisíveis
espiam minha alma!
Tenho algo de querubim,
ouvirás vozes dos anjos.
Tenho algo de sedução,
ouvirás o pulsar das luas.
Do teu olhar vejo o anil do céu
e da luz do luar te pinto de estrelas...

O doce jogo, o sagrado,
o que importa?
Até que o teu coração, enfim,
brote do fermento do tempo
e volte a remirar o sol perdidamente...

Aceitarás o amor lá dentro?
Ou guardarás a liberdade
como anteparo?
 
 O Sibarita

11 comentários:

Olhos de mel disse...

Colhi todas as amoras,
e, em cada uma, colhida,
senti a doce essência
que emana da paixão,
em cada verso do poema,
que fala pelo coração.

Poxa Siba! Ficou perfeito ler seu belíssimo poema ao som da musica Spiritual Gardem, que tocava na Humaitá.
Beijos

Paula Barros disse...

Amoras, me lembrou amores. Me lembrou um gosto diferente, que talvez só quem ame sabe sentir.

Bem, deixando meus devaneios de lado, mais uma belo poema, desta safra que tem brotado amores e amoras.

Lindo!

Claudinha ੴ disse...

Do azul reformulado, emana o vermelho, cor perfeita... Este sentimento é único,com gosto de amoras maduras...
'Vou contar para o seu pai que você namora'...
Lindíssimo Siba! Beijos!

Bandys disse...

Salve meu santo Toinho,
O babado esse ano foi bom.
Essa amoras tem sabor diferente, é o sabor do mel. Doce, melado, gostoso.
Inebria tanto que a luz do luar vem como estrelas..
Essa amora ta enfeitiçada moço, e quem provar dela cai de 4 na hora.

Eu, sempre aceito amor!kkkkkkkkk

Siba, seu danado tu me abandonou hein.

Beijos

Evanir disse...

Lindo sabor de amora sabor de amor sabor de mel.
Eu com sabor de saudades minha vida anda um pouco enrolada daqui a 3 semanas é o casamento do meu filho
mesmo estando preparada sinto muito essa separação enevitavel.
Um dia também deixei meus pais agora é minha vez de sentir tudo que eles sentiram.
Eu não ficarei só graças a Deus tenho o amor da ao meu lado.
Beijos no coração,Evanir.

Olhos de mel disse...

Siba; essas amoras, me remeteram a minha infância, quando morava na roça em Sto. Amaro.
Beijos

Moça disse...

A amora é uma frutinha que me remete à infância. Me remete à sentimentos verdadeiros. Me remete a medos naturais.
Por isso o que escreveu se torna ainda mais intenso: "aceitarás o amor lá dentro?" não sei, ainda não sei jogar!
estou vivendo!
Lindo!!!!!!
opinandoemtudo.blogspot.com

Sherazade disse...

Siba; eu diria que tens muito de sedução. Baste lê tudo que escreves. Nesse doce jogo, misturando bem o profano e o sagrado, nós é quem colhemos as amoras de mel, do teu belíssimo poema!
Beijos

Enigmático Byjotan disse...

Amoras e segundas intenções...nem sempre nesta ordem. Mas! Misturado que é bom! Abraço carinhoso de intenções reais do amigo e leitor:-BYJOTAN.

LUZ disse...

Quando se faz poesia, faz-se por alguém e para alguém.
Amoras, lembram olhos, lábios, desejos.
Luz, luar e, no íntimo, o verbo ensear.
Pode-se amar, aceitar o amor, mas em liberdade.

LINDÍSSIMO E SIGNIFICATIVO POEMA.

Luz.

Uma aprendiz disse...

Oi, Siba

Hoje entendi um comentário antigo: "... nem tudo que se ecreve se vive, literalmente.Pode ser pura emoção, sem direcionar a ninguém, especificamente...". Coisa de poetas, mesmo aos que não se julgam assim rsrsrsrsrsrs

Confesso que a primeira vez que leio seus poema a emoção é bem maior. Quando republicado é diferente. O tempo é outro e me permito apreciá-lo de outra forma.

Lindo, sem dúvida! Isso não muda.

Oxalá, hoje você estivesse mergulhado nestas amoras rsrsrsrsrsrrs

Parabéns!!!!!