sexta-feira, outubro 30, 2015

ABSORTO

Absorto

Meu bem, sim, sei, te mando notícias
Requentadas nestes versos tão carentes
Que por certo e por tudo são relíquias
Pelo olhar absorvido das tuas lentes...

É que caminho mesmo na monotonia
Dos passos e outras receitas do amor
Em mutações na variação das agonias
A cada verso brotado como dor/flor...

Não sei olhar as coisas do teu presente
E assim, sigo e refaço o que já está feito
Ruminando desta temporada iminente
Em que só sei escrever a teu respeito...

E sobre faíscas/carícias dos meus alheios.
Estes são apenas os meus singulares temas
Como sol novo e céu azul dos teus esteios
Reinventando palavras cruas deste poema...

Mas, amor, há quanto tu desafias o tempo
Quando a noite chega e a luz do luar é fria?
Há quanto esperas o fim do mesmo tempo?
Choque de negror, o amor rediz o que dizia...

O Sibarita

HUMAITÁ WEB RÁDIO!
www.radiohumaita.com.br

7 comentários:

Lu Nogfer disse...

Um poema amoroso e inspirado por um moço poeta talentosíssimo e apaixonado pela poesia.
Com admiração, o aplaudo de pé.
Beijo, Siba!

Claudio Chamun disse...

Faço minhas as palavras da Lu.
Abraço.

Histórias, estórias e outras polêmicas

lua singular disse...

Oi moço.
Tu escreves muito bem, uma bela poesia toda rimadinha.
Aqui tá tudo porreta, chovendo a contento
Uma linda noite
Lua Singular

Ghost e Bindi disse...

O amor é algo tão grande, que tudo abarca, e sempre tem coisas novas pra contar. Mesmo as requentadas notícias da vida de alguém, sob a lente de quem ama, são fatos interessantíssimos. Cada detalhe conta, e mesmo o sol e a lua, que lá estão há trocentos bilhões de anos, parecem novos a cada dia, quando amanhecemos plenos de tanto amar.
Como diz o baiano, poema porreta...tudibão para o mineiro, uma baita poesia, pros gaúchos.
Abraços, amigo!
Bíndi e Ghost

ONG ALERTA disse...

Muito lindo abraço Lisette.

Safira Serene disse...

Lindo poema, gostei muito... Fiquei presa entre esse pensamento: "Não sei olhar as coisas do teu presente/E assim, sigo e refaço o que já está feito/Ruminando desta temporada iminente/Em que só sei escrever a teu respeito..." Sei tão bem como é isso.
Um abraço.



Kátia disse...

Ô delícia de notícia hein esse menino?Amei!
Quando venho aqui fico 'bebendo' esses versos e me 'embriagando' com cada um de modo a sair trôpega de emoção.
Você 'bota pá lá né Pai?'Rai ai............fique aí,eu vou e volto.