domingo, outubro 04, 2015

O VELHO CHICO 514 ANOS E A BARCAROLA DO SÃO FRANCISCO!

Assistam ao Vídeo homenagem ao Rio São Francisco por dois nordestinos retados, Geraldo Azevedo e Djavan. “Bacarola do São Francisco” Carlos Fernando/Geraldo Azevedo. Gravada no estúdio de Robertinho do Recife. Geraldo Azevedo nasceu as margens do Rios São Francisco na cidade de Petrolina, Djavan em Maceió/Alagoas. Vejam que beleza de música e leiam, conheçam mais sobre o Velho Chico!

NR. Para ouvir o vídeo pare a rádio Humaitá ao lado.

O rio São Francisco, também chamado de Velho Chico, faz neste domingo 514 anos, foi descoberto em 4 de outubro de 1501 pelos navegadores Américo Vespúcio e André Gonçalves. Os índios da região o chamavam de Opara (rio-mar), mas foi batizado de São Francisco, em homenagem a São Francisco de Assis, nascido no mesmo dia, 319 anos antes. O Rio da Unidade Nacional, um dos mais - talvez o mais - importante dos rios brasileiros, nasce no Parque Nacional da Serra da Canastra, sudoeste de Minas Gerais, no alto do Chapadão da Canastra, de onde despenca na forma da majestosa cachoeira Casca d'Anta, de 186 metros de queda livre.

Após percorrer 2.700 quilômetros (terceiro maior rio do Brasil), serpenteando pelo cerrado, cruza cinco estados brasileiros (Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe) até desaguar no oceano Atlântico, entre os estados de Sergipe e Alagoas, na Praia do Peba (estado de Alagoas). Sua bacia hidrográfica tem 640.000 km² de área. É o único rio que corre no sentido norte/sul, da região Sudeste para a região Nordeste do Brasil, devido à diferença de nível causada por uma falha geológica conhecida por "depressão sanfranciscana". Não fosse essa falha, suas águas correriam de Minas Gerais para o sul.

Na época colonial, serviu de trilha para transporte e criação de gado, ligando a região Nordeste às regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, o que lhe valeu mais um apelido: Rio dos Currais.

Seu potencial hídrico é enorme para abastecer cidades, irrigação, geração de energia, piscicultura, turismo, transporte de pessoas e cargas. Em sua extensão, além da Casca d'Anta - primeira e mais bonita - existem algumas quedas d'água, entre as quais a cachoeira de Pirapora, entre o curso alto e médio do rio, Sobradinho, Itaparica e Paulo Afonso.

Vários problemas têm afetando o rio, como o assoreamento - causado principalmente pelo desmatamento de sua mata ciliar - o garimpo e o despejo de esgoto e outros dejetos. Tratado como uma fossa, recebe dejetos orgânicos e químicos das indústrias, pessoas e animais. O desmatamento irresponsável serviu em grande parte para o fornecimento de carvão para a siderurgia de Minas Gerais.

O São Francisco é um importantíssimo recurso natural para o desenvolvimento regional, e é o responsável pela geração da energia elétrica que abastece o país, especialmente o Nordeste e boa parte de Minas Gerais, através das hidrelétricas de Três Marias, Paulo Afonso, Sobradinho, Xingó e Itaparica.

Considerando sua grande importância para o Brasil, o Velho Chico é um doente que necessita de tratamento urgente, para que continue a servir tão bem, tanto a nossa geração quanto às futuras, antes que a devastação se torne irreversível.

O rio São Francisco, denominado "rio da unidade nacional” representa a força de todas as correntes étnicas do Brasil, porque uniu as raças desde as camadas humanas mais antigas às estruturas étnicas e políticas mais recentes do País. Aproxima o sertão do litoral e integra homens e culturas.

Infelizmente o futuro do Velho Chico é incerto, ele agoniza... E os ribeirinhos dependentes dele sofrem também!

Regina Coeli Vieira Machado/O Sibarita

 Rádio Humaitá, a boa, se ligue!
www.radiohumaita.com.br

7 comentários:

APENAS PALAVRAS disse...

"Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música
não começaria com partituras, notas e pautas.
Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria
sobre os instrumentos que fazem a música.
Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria
que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas.
Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas
para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes".

Linda musica....
Abraço... bom final de domingo...

Ghost e Bindi disse...

Coincidentemente, em 04 de outubro, dia mundial dos animais, é quando se comemora também o dia de São Francisco de Assis...ou não será coincidência? Talvez o santo Chico, aquele lá de Assis Itália, tenha dado uma mãozinha para que se encontrasse esse manancial de vida, infelizmente tão dilacerado pelo descaso humano. Peço a ele, agora, que ilumine os corações humanos pra que saiam de seu sono materialista e acordem pra verdadeira beleza da vida, a beleza espiritual que está no respeito, na compaixão, no amor...onde houver trevas, que cada um de nós leve a luz.
Um abraço para esse poeta porreta aí da Bahia de todos os santos...inclusive, Francisco.
Bíndi e Ghost

Bandys disse...

Alouu,

Não é só o rio São Francisco que vai agonizando.

Aqui no Rio tem a Baia de Guanabara totalmente poluida.

Só com muita reza forte pra iluminar os nossos governantes.

beijos

Kátia disse...

Ô esse menino,que beleza de texto!
Nada como esclarecer aos visitantes o sofrimento do nosso povo e seus recursos naturais...eita,que saudade da gota de tu!
Eu volto viu?rai ai
:-D
Beijo e cheiro!

Ani Braga disse...

Infelizmente, minha vida está uma correria sem fim e por isso quero pedir desculpas aos amigos, pois estou sem tempo para postar e para visitar os blogs que tanto estimo.
Em breve entrarei voltando à normalidade.

Beijos
Ani

O Profeta disse...

É tudo tão breve
Habitamos as pedras
Inventamos sonhos
Vislumbramos quimeras

Mas, falemos dos suspiros dos pássaros
Falemos de ti
Nas irreprimíveis asas dos anjos
Na noite primeira dos mil encantos



Um radioso fim de semana



Doce beijo

Claudio Chamun disse...

Infelizmente nem o povo, que se diz urbanizado, nem as autoridades têm consciência do que estão fazendo com a nossa água.
E os primeiros a sofrer são justamente aqueles que vivem dos rios e que mais cuidam da natureza.

Grande abraço.