sábado, janeiro 12, 2008

NOITE, SONETO

Noite, soneto

Pega-me sempre nas tuas mãos macias, pega-me!
A lua e sempre ao derredor do nosso leito... Nua
Largada, cúmplice à meia luz nos lençóis... Amada
Em frenesi orvalha essa noite que sai do casulo e ri...

Pega-me na relva tênue do teu púbis, oh, pega-me!
Inunda os teus desejos do céu que germino... unta:
Anseios, peles e olor erguendo libidos... Os lampejos
Advindos... doçuras, ápice, orgasmos e gemidos...

Pega-me sempre no teu olhar em chamas, pega-me!
Fala do amor na pura essência do teu seio... Afaga,
Desejos antigos no céu e no luar dos teus beijos...

Pega-me sonhando no teu colo inefável, pega-me!
Sublimo o teu ser nessa noite de colheitas... Rimo
Versos sorvendo do teu mel nos gozos ascéticos...

O Sibarita

13 comentários:

Leticia Gabian disse...

Uau, cumpadi!!!!!!!!
Mas tá que tá uma beleza o teu blog!!!!!! Adorei!

E que soneto, hein?!
Ai ai ai...Até deixei de sentir frio...Puxa!

Tudo bem, cumpadi? E a nossa cidade, continua lindona, como sempre? Saudade grande, embora aqui esteja tudo azul.

Beijão e até mais

Luíza disse...

oi oi. bem, o último parágramo do meu post não é de minha autoria, é uma letra do Jorge Mautner. Mas diz exatamente o que eu queria na hora em que escrevi.. ela diz mta coisa pra mim.
Guarda umas agulhinhas fritas ae pra mim... eu morro de vontade de comer comidas baianas.. acarajé então... qndo aparece na tv hahaha, hummmmm deve ser ótimo, com bastaaante pimenta êitaa!!

E sim, estamos interligados. Quando tu escreve sobre o amor então.. me identifico mto.

Beijos Beijos e bom resto de fim de semana!!

Maria disse...

Ôxente, meu amigo tá danadinho memo...

E depois diz que num tá apaixonado kkkkkkk

Beijos

Luíza disse...

é verdade.. acho que essas letras todas são resultado de uma paixonite aguda, daquelas que não têm remédio que cure. hahaha


As festas aí em Salvador devem ser bem divertidas, mas não falo de carnaval propriamente porque este eu já "conheço" e sei que é só alegria alegria, como diria (o baiano) Caetano.

E eu ainda hei de conhecer a tua terra, e quando o fizer te aviso, pra nos conhecermos, ahh e a Renata Belmonte, minha ídola hahaha.

Grande beijo!!

Mila disse...

xiiiiiiii... e que visual!!!
Feliz 2008***

Oliver Pickwick disse...

Um soneto da velha escola acadêmica, ancorado as cânones da velha escrita. Poucos, hoje, tem essa lembrança e conhecimento.
Muito bom!
Abraços

Oliver Pickwick disse...

Esqueci de dar os meus parabéns pela nova vestimenta em black tie do blog. Noblesse obligue.
Abraços!

Olhos de mel disse...

Vixe Maria conterrâneo... fiquei sem palavras, li e reli teu poema de amor, de desejo... Que delícia, que loucura, uma noite de prazer e ternura.
Lindo! Amei!
Que sua semana seja de realizações!
Beijos

Fátima disse...

Ola!
Desde já te quero agradecer a visita ao meu humilde cantinho, onde vou relatando algumas das minhas "Vivências", que vou passando por esta viagem que é a vida.
Adorei o teu post, transpira erotismo e sensualidade!!!!!!!!


Um abraço e um desejo de uma otima semana!!!!

O Sentir dos sentidos disse...

Sibaaa,

Mas que poema lindo!!!
Tá apaixonado é meu fio? kkk, há Siba, espero que esta paixonite aguda te faça sempre escrever poemas tão encantadores feito este que nos ofereçe.Mas sei que este Siba é mesmo um danado, e mesmo com amor ou sem amor...faz sempre escritos encantadores.
Esta parte..."pega-me sempre nas tuas mãos macias, pega-me"...tão lindo isto!

Agora com esta casa nova toda linda que está, só vou viver fazendo pizeiro aqui...kkkk...rss.
ADOREI TUDO VIU?

Beijo,

O Sentir dos sentidos disse...

Eu Novamente:

Obrigada por suas visitas querido, e desculpa a demora em retribuir certo? È sempre muito bom te receber em meu canto.

Outro beijo,

Grace Olsson disse...

Soneto assim um tanto erótico. Mas depende da forma que cada um interpreta. Como sempre, seus versos sao pura reflexao.

tenhas uma semana cheia de paz e luz.
Grace olsson
www.eueorenascerdascinzas.blogspot.com

Vera Lucia disse...

Maravilhoso, suave, denso, perfeito como tudo que escreve.Bjoks.
Vera Lucia