sábado, janeiro 19, 2008

VENTOS

Ventos

No escopo cíclico da vida agitada
Breves versos cândidos e soturnos
Brotam nos espasmos cru da alma.

Ao amor desespero o coração negado
Incendeia a lua e os ventos noturnos
Batendo na porta do tédio encadeado.

Despido, discorre em si e não medra
Sem armaduras na aflição do pesadelo
Dá salto mortal e pula de pára-quedas.

Nos céus e becos do poente que flameja
Esquecidas rosas ornam o amor pálido
Naqueles retratos sobre a penteadeira...

Do horizonte jorram os ventos semeados
No deserto do caos na flor do pensamento
Refletindo tenso no espelho empoeirado.

Mas, nas chamas ardentes da noite calma
Os passos insones beijam o amor peregrino
E faz brilhar no céu aquele sol que se apaga...

Quando a solidão encontra uma lua partida
Em toneladas de volúpias no fel do relento
Sem um riso, um olhar ou palavra perdida.

Racionalizo e dou um salto na escuridão
Como insano ou iluminado que a lua beija
Nos vestígios do breu varando o coração.

É que há ventos moucos e reminiscências
Então, subo aos céus e acendo uma estrela
No anoitecer embalsamado da tua ausência.

É na lápide que o desejo escreve e entrega
Para edificarmos no vento o que nos resta...
- O passado não há, se em ti, o amor renega.

O Sibarita

9 comentários:

Maria disse...

Oi Sibarita

Nem sei como arranja tempo no meio da Festa para vir aqui deixar-nos palavras tão bonitas....

No dia 2 de fevereiro, na festa de Iemanjá, coloque no barco um pente e um espelho por mim, porque o perfume vai vosmecê lhe dar, não é mesmo? Eu vou estar aí de alma e coração, de hoje a 15 dias, mesmo....

Beijos, e continue escrevendo assim, que eu gosto!

Alice Matos disse...

Lindas palavras, amigo... dignas de um verdadeiro sibarita...

Fica bemmmm... Beijo...

Anônimo disse...

"Torcendo" para que consiga ler meu comentário,escrevo pela segunda vez que sua poesia é MARAVILHOSA !

Deixo meu carinho,

Vera Lucia

Kalinka disse...

Olá Sibarita
Quando visitei a Bahia foi precisamente esta imagem grande que aqui tem que mais me impressionou, adorei ver Orixás, no Dique de Tororó.

Eu, peço desculpa pela minha ausência, mas a minha vida tem estado complicada, tenho uma familiar muito querida com apenas 25 anos e está a sofrer há 8 meses, problemas graves, neste momento aguarda um transplante de coração.
No último dia do ano de 2007 dediquei-lhe o meu post de fecho do ano.
Nem sei como ainda tenho cabeça para andar por aqui...venho vindo aos poucos, mas...não com a mesma assiduidade de antes.
Sinto-me bem na blogoesfera, é aqui que muitas vezes venho buscar forças.

Bom fim de semana.
Um abraço.
Ai como eu preciso de um Abraço!!!

Fátima disse...

Oá amigo,

ADOREI! O Amor nunca se renega.

Obrigada pelas tuas palavras no meu cantinho.

:-) Beijinhos

Claudinha disse...

Saltos no escuro são características de quem pode entender a lua e por ela se apaixonar, mesmo que o futuro não lhe deixe um passado...

Gostei muito!
Ando afastada por conta do trabalho, mas não deixo de aparecer de vez em quando! Um bêju minêro procê!

Múcio L Góes disse...

salve, salve O Sibarita!

grato, muito grato pela visita!

[]´s

Olhos de mel disse...

Oie lindinho! Amei esse poema! É lindo, mas me passou tristeza, saudade, nostalgia... Eu também tenho esses momentos, faz parte, embora as pessoas gostem dos mais alegres. Mas é bom que em todos, possamos descrevê-los com autenticidade. Porque assim, eles vão passando e nos preparando para um novo e melhor que ha de vir.
E a lavagem, foi? Eu vi apenas pela televisão e dizendo: meu amigo Sibarita deve estar se esbaldando...
Fique com Deus e que sua semana seja feliz!
Beijos

Oliver Pickwick disse...

Um dos seus melhores trabalhos que tive a oportunidade de ler, Sibarita. Não me surpreende, já que és capaz de subir aos céus e acender uma estrela.
Abraços!