segunda-feira, janeiro 28, 2008

ÓPERA BUFA DO CARNAVAL DE SALVADOR

Ópera Bufa do Carnaval de Salvador

Gatos nas panelas
Tamborins exaltados.
Fome na boca da miséria
Gatos escalpelados...

Na maré,
os marezeiros colocam o bloco nas pontes.
Lá vai o bloco dos miseráveis desfilando
pela passarela da ponte Santo Antonio!
Explode o som do serviço de alto-falante
“Eu sou o carnaval em cada esquina...”
Caretas feitas de sacos de alinhassem,
pano de chita enfeitando as meninas...
Nas pontes, não há batalhas de confetes.
Jornais velhos como serpentinas,
serpenteiam tristezas e pneumonias!

Nesse bloco não tem cordas
e não tem as cores da cidade
é um amontoado de sofrimentos
fazendo festa sem instrumentos...

Sob a pele de barrigas vazias,
No porta-estandarte: Valha-nos Deus!
Dona morte requebra cheia de alegria...
No enredo desfilam: fome, asma e cirrose
meningite, pneumonia e tuberculose
Em farrapos de mortalhas como fantasias...

Enquanto, no outro lado da cidade:
Avenida Sete, Barra e Ondina
dona esperança pula cheia de alegorias!
No seu porta estandarte desfilam:
Saúde, escolas e educação,
teatro, lazer e boa alimentação!

Do Campo Grande à Praça Castro Alves
batalha de confetes, pierrôs e colombinas,
lança-perfume, cervejas e serpentinas.
Dentro das cordas, o trio detona o som:
“atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu...”
Requebram quadris bonitos e malhados.
É... A nata da sociedade em plena felicidade,
desce a Avenida Sete com os desejos aflorados...

Na maré, segue o carnaval...
Crianças caras-pálidas,
botam o bloco nas pontes.
Pintam os rostos de índios
e de cuias nas mãos,
os vinténs serão bem vindos!

Nas pontes, o sol chega vestido de arlequim,
espia da esquina e toma uma no botequim.
A lua aparece vestida de colombina,
ela requebra, ele se agarra à sua cintura,
beijam-se e vão desfilar no mar de Amaralina...

O Sibarita

17 comentários:

Helena Nunes disse...

Oi Sibarita, já melhorzinha retorno desta minha ausência prolongada.
Um dia hei-de ver com os meus proprios olhos as imagens que aqui tens.
Belo texto, intenso, alegórico, real. Fica a esperança que um dia não escrevamos sobre isso. Até lá, é realmente o que o mundo nos oferece.
Bjos Sibá

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sibarita
É uma realidade que não conheço e que tomo contacto através das tuas imagens e do teu texto.
Um abraço

R Lima disse...

Ode ao Carná... isso aê rapá?

E aí tm msn?

Vai sair de que na avenida?

rss...




Texto de hoje: sAmBa...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Bruno Oliveira / Paulo Fernando disse...

Rapaz, cada vez vc surpreende mais agente, parabéns.
Vc é muito criativo e espontaneo, todo pra ser um verdadeiro poeta.
Continue vistando meu blog.

Paulo Fernando
(Eu voltarei)

Maria disse...

Oi Amigo Baiano Soteropolitano Palafita
(tem mais?kkkk)

Me diga uma coisa, então vosmecê vai sair no sábado para a festa de Iemanjá (não esqueça o espelho e o pente) e depois vai brincar no carná e quando descansa, trabalha ou dorme?
É mais uns dias de rua mais rua e sua Negona Rastafari deixa?
Ôxente, que menino retado kkkkkkkkk

Do lado de cá diz-se "a vida são dois dias e o carnaval são três". Divirta-se!!!!

Beijos

♥≈Nღdir≈♥ disse...

O tempo tomou conta da minha vontade… corre veloz ao sabor do vento…
Contudo… mesmo num desejo rápido, estou aqui… nem que seja apenas para desejar uma boa semana.
E parto… de novo sem promessas, porque não sei quando me será permitido voltar, fica então a vontade de regressar, um dia destes quando o tempo permitir…
Que fique o meu beijo e que dure pelo momento de ausência no espaço de um até breve.
Nadir

♥≈Nღdir≈♥ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fresquinha disse...

Saudade, amigo !!! Volte !

Fernando disse...

CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP!

Sibarita, meu querido, estou te lincando neste exato momento. Eu falei que tu és poeta!

Que puta desconstrução do carnaval. Lembrei-me de uma letra da Timbalada chamada Cordão de bloco. Fala um pouco do que disseste nese poema triste, reflexivo e sensacional.

O pão e diversão é foda porque sempre tem alguém que não tem um dos dois...

E se parar pra pensar nisso, desisto de ir à Salvador no carnaval, porque o abadá é igual salário de jogador de futebol.

Mais uma vez, poema do caralho! Parabéns, meu fio! E como lhe disse, estou te lincando. E ai de ti senão fizer o mesmo, vou trocer pra você comer vatapá do dia anterior! Hehehe. :)

Abraços, Sibaritis!

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema, como sempre.
Uma visão poética e diferente do carnaval. Muito bem.

Abraço.

Déa disse...

Siba querido! Não, eu não te abandonei, mas o tempo não está dando para nada. Tive que correr com tudo porque amanhã "já é carnaval cidade, acorda pra ver"! Eu moro na Centenário e estou correndo da confusão. E fique feliz de você ter escapada à convocação de ajudar na mudança. Ainda hoje teremos "armações de camas", mas no ap da centenário! Já viu que eu não vou comentar nada das poesias. E a razão é uma só: desta vez não li, então melhor não comentar.

KKKKKKKKKKKKKK

Seguinte, se acabe e beba todas e faça tudo o que for de Deus fazer!!!! Rsss Carnaval é para isso!

Super beijos!

Olhos de mel disse...

Oie lindinho! Hoje tou mais boba que todos dias... estou aqui entre lágrimas e sorrisos, conforme seu belo post. Essa infeizmente, é nossa realidade. Os contrastes, dentro de um mesmo enquadre. Poxa apesar de esta emocionada demais, não posso negar a belza dos versos. É a primeira vez que choro lendo seu blog.
Eu não brinco e acho que é um tempo de preocupação, pela violência. E entrego a Deus!
Bom carnaval, conterrâneo! Que Deus lhe proteja!
Beijos

O Sentir dos sentidos disse...

Sibaaaaaaa Queridinho!!!

Este seu poema é realmente emocionante por retratar uma realidade perversa onde cada um "dança conforme a música"...mas, nem por isto menos bonito e cheio de sentimentos, como todos seus poemas marca que te faz...pacífico, humanista,sentimental etecetera e tal...um cara legal com certeza.

E aê? Vai cair na gandaia é? rss, eu vou é me mandar de confusões e agitações...vou prá uma ilha deserta meditar..aummmmmmm...aummmmmmm...aummmmmm...(som do universo)sabe?

Beijos lindinho, (Feliz Caarnaval)

Estrela do mar disse...

ღღ Passei ღღ   *.*´¨) ღღ

   ღღ ¸..´para desejar¸..*´¨)*´¨)

  ¸.•´um lindo¸.•*´¨)e colorido.ღ ¸.•*¨)

FIM DE SEMANA
  (¸.•´ ღღ (¸.•` ღღ !* ღღ

      ¸.•*¨) 
       
   
    (¸.•´ ღ (¸.•*´¨¨*Beijinhosssss*´¨¨*•.¸ღ .•*¨)

Kátia Borges disse...

Oi, fio, sumiu. Fiquei preocupada, pois vc disse que ia pra Lavagem do Bonfim sem dia pra voltar. Bjs

Oliver Pickwick disse...

Uma alegoria trágica, ritmada ao som de atabaques emudecidos. É ler, e desistir de perseguir o trio elétrico. Ou acaso mortos-vivos, zumbis, também vão atrás do trio?
Tiros no carnaval. E quem diria, disparados por um baiano.
Abraços!

Crítica e denúncia disse...

Aqui estou meu príncipe dos coqueirais baino, vim ler-te, desculpe a ausência...um leve apelo teu e venho correndo dizer que teus versos já fazem parte da literatura mundial. Falas de coisas que conhecemos amigo! E quando a Lua aparece vestida de colombina a gente esquece as tritezas e deixa o coração cantar.
O vídeo está lindo e dá para sentir o calor do carnaval da Bahia.
Grande beijo meu amigo.
Alda