segunda-feira, agosto 13, 2012

DIAGONAL

Diagonal

Na luz da tua ausência o meu amor é feito de agonias
E, em mim, descem desertos e a solidão esparramada.
Precipito-me, deixo-me em farrapos e nos tons dos dias
Eu piro, viajo na maionese quando não me dizes nada...

Há uma certeza na estação que a primavera nos habita,
O amor busca com fúria noturnos galopes silenciados.
Eu e tu nesse poema sem lábios proferidos que eterniza
Desejos, fronde e fronte dos nossos corpos entrelaçados...

Beijar-te-ei os lábios na volúpia de mais uma noite contigo
Viras-me assim, bem assim sobre o leito de rosas e jasmim.
-Rotas de paixões entrecruzadas... Oh, vem dormir comigo!

Mas, me visto da tua ausência e quem te fez assim céu e chão?
É que na diagonal existe um só mar, um só cais e um só barco
E nos teus olhos: a noite não cavalga, navega do teu coração...

O Sibarita

12 comentários:

Paula Barros disse...

Que belíssimo. Gostei muito desta frase: Oh, vem dormir comigo.
Neste poema de amor ficou muito bem.
abraço

Olhos de mel disse...

Nossa SIBA! Um soneto de tirar o fõlego... Amei a paixão, o desejo e o convite explicito carinhosamente e ardentemente, em cada verso.
Amei! Beijos

wcastanheira disse...

_Mas, me visto da tua ausência e quem te fez assim céu e chão? Belo, intenso, um poema que exige parar e estudar, analisar e interpretar cfme o momento de quem lê, gostei do momento filosófico que está impresso em cada linha, muiiiito bom meeeemo o tio Castanha gosta disso, pra vc bjos, bjos e bjosssssssssss

Bandys disse...

Siba , meu amigo
Nem sei por onde começar, se pelo novo poema ou pelo que esta la no meu canto....
Olha, me senti muito honrada em ter sua linhas postadas no meu cantinho.
Agradeço de alma coração e que nossa amizade dure seculos como a historia que você contou. Linda demais!

Oxxi, não pense que esse vai sr o único não!
Obrigada mesmo, seu poeta porreta que fica escondendo o jogo aí! afff, kkkkkkkk!!!

Esse que se chama DIAGONAL é tão belo quanto o outro.

"Mas, me visto da tua ausência e quem te fez assim céu e chão?
É que na diagonal existe um só mar, um só cais e um só barco
E nos teus olhos: a noite não cavalga, navega do teu coração..."

Eita, mas falar o que?????

Eu saio de fininho, deixando beijos e abraços e um mar de flores junto do seu teclado!
Obrigada por tudo.

Bandys ♥

Daniel Costa disse...

O nome de Sibarita, há anos me parecia muito, alguma coisa havia que o recomendava.
Pois é, o seu carisma a sua esbelta poesia, que duma vez por todas se aprecia. Te agradeço a pssagem por um dos meus bogges,
Um abraço

http://danielmilagredanieldaniel.blogspot.pt/

Vanuza Pantaleão disse...

Siba, anjo baiano!
Sei não, meu painho, mas acho que ando mais baianinha que você [risos]. É que a preguiça me pegou de jeito aqui, nessa rede gostosa...ai, ai, ai, ainda está em gestação o próximo post. Dia desses, ele nasce!
Beleza nessa diagonal da paixão, é o que percebo entre um suco de cacau e um acarajé.
Noite linda e apaixonada!!!!Bjssss

Jota Effe Esse disse...

Eita, que essa diagonal ficou muito porreta! Meu abraço.

LUZ disse...

Oi querido Siba,

Começo por lhe agradecer os dois humorísticos e aprazíveis comentários, que deixou em meu blogue.
É uma pessoa super bem disposta, com uma linguagem própria, Brasileiro e da Baía, só pode dar aquela mistura gostosa e regionalista (houve palavras, que eu não entendi, não, mas isso fica só entre nós).
Amei a forma carinhosa e brincalhona como se dirigiu à minha pessoa e ao texto exposto no meu blogue.

De facto, a beleza exterior, e filosoficamente falando, é o resultado da beleza interior, concordo, mas me diga se conseguir reunir as duas, hein?

NÃO RESISTE, NÃO DÁ PARA NEM COMO RESISTIR.

Quanto ao poema postado aqui, "Diagonal" eu penso que ele fica bem em qualquer posição.
Então, quando se ama, e em consciência, os corpos se encaixam, se acomodam um ao outro, e nem precisa pensar, previamente como vei ser, que posição tomar.
Acontece, naturalmente, tão natural, como a sua/dela própria sede.

Muito envolvente, belo na forma e sensual nos sentidos, passo a redundância, nos conduz a um só barco, a um só caminho, a uma só alma e a um só corpo.

Beijos da Luz.

Vanuza Pantaleão disse...

Menino Siba, não se impaciente tanto com as minhas demoras. Minha sábia e saudosa mãezinha, em seus momentos de sabedoria, já sentenciava: "Filha, Roma não se fez num dia!"Rsrs.
Tanto na diagonal, quanto na transversal teus versos se estilhaçam em luzes, em fogos de artifício que deslumbram a quem tem a dádiva de presenciá-los.
És um grande Poeta!
Beijinhos no coraçãozinho!!!

Ju disse...

Passei para agradecer o carinho e o belo comentário e acabo me deparando com um lindo poema....
Obrigada, adorei estar aqui.
E quantos as letrinhas, estão lá porque não sei tirar...rs
Bjus!

David C. disse...

Bonito post.
Saludos
David

Uma aprendiz disse...

Me chamou, neguinho?
Ah, que pena..... mas senti que sim kkkkkkk

Amo poesias, mas sempre achei que a “agonia do amor ausente” inspira versos deliciosamente sofridos. Posso estar errada, é claro!
Só os tolos pensam entender a mente humana, quiçá os poetas.
Mas, deixe-me bancar a analista.
Por que preferes amar em sonhos?
Levante-se deste leito de rosas e jasmim!
Mesmo que você ache que na diagonal exista um só mar, um só cais e um só barco...
Vá dormir com ela!
Dispa-se desta ausência, corra!!!!!!
Nada vale mais que olhos nos olhos, dois corações acelerados e corpos se amando sem
janelas os separando.
Que tal?

Depois combinamos o valor da consulta, ok? Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Beijos, se sua amiga paulista