terça-feira, fevereiro 25, 2014

IDÍLIO

Idílio

Eis o quanto resta deste idílio nos ensejos.
Sobre a noite, a orgia dos teus olhos castos,
Na abadia do meu querer viçam os desejos,
Manhãs do teu íntimo convento e devasso...

Como vão longe os dias, os bons momentos,
Quem sabe do amor que sem razão deplora
A primavera na estação amor abre em alento,
Festões das vontades dissimulando as horas...

Dos teus lábios, o beijo, do carmim desvirgina.
A devassidão absorve o que meu olhar acende,
Luz despudorada e desprendida da tua resina...

Estampa da paixão, a palavra do amor prende.
Sobre a inscrição do teu nome a delícia calcina
Abrasando nossos corpos, o prazer se rende...

O Sibarita

SE LIGUE NA HUMAITÁ WEB RÁDIO, O SOM DO CARNAVAL!


4 comentários:

Olhos de mel disse...

Siba; que soneto mais doce, mais lindo! Muitas vezes, a diferença entre uma vitória e uma derrota, é apenas uma tentativa a mais. Porém, como já dizia William Shakespeare "existem mais coisas entre o céu e a terra, do que sonha nossa vã filosofia". Quem sabe o que acontece, por detrás de tudo?
Lindo demais Siba!
Beijos

mARa disse...

É isso Lindo Siba, o amor cantado, sentido, que calcina o corpo de paixão.

Palavras sentidas Poeta!

Beijão!

Kátia disse...

Um vai e vem de Amor simultâneo,oculto e aparente,paradoxal e extravagante,por vezes correspondido e outro apenas um flerte.

Que HAJA sempre Amor então!
De todo modo e seja como for.

Esse menino é boca de zero nove hein?Eta,feche sua cara viu!kkkkkk

Beijo e aproveite o carnaval aí por mim.

LUZ disse...

Olá, Nélson!

Tudo bem? Curtindo o carnaval ou nem por isso?
Aí, na Baía, essa época é de grande diversão, mas é diferente de outros carnavais, em outras cidades do Brasil, segundo creio.

Li seu poema de amor, e me pareceu que se falava de muito algo bom que tinha acontecido entre os amantes, e que agora se recordava e desejava, mas, depois, parece que seu "eu-lírico", renasce, e tudo acontece, como dantes.

E vossos corpos despudorados, cheios de luz, se incendeiam de prazer, DE NOVO. Concluo, assim, que o amor, o amor de "vocês" é mesmo verdadeiro e não IDÍLIO.

Boa semana.

Abraços.