quarta-feira, outubro 03, 2007

VESTÍGIOS...

Vestígios...

Ai Deus! Como um rio, água humilde sou.
Correi doçuras e dor. É ela, assim, lasciva.
Ó, nos teus vestígios, dizei-me: aonde vou?
No meu olhar, tu ali viva, passou, tão viva...

Agora, eu te digo: teu corpo é pássaro e fruto.
Cabelos de fogo e cobre, água deslumbrante
Em fuga, relâmpago sem memória, noturno.
E essa crosta e limbo dentro de ti, escamante...

- O que dizes amor?

Essa poesia.
Da onde será que ela nasceu?

Vestígios e desejos.
Águas marinhas.

Veio dos vestígios ou do sal?
Esses dois que moram no fundo e no fim.

- De quem falas meu bem, do mar ou de mim?

De ti! Foram os teus passos trazendo o fogo no olhar
Que cravaram uma lança na paixão e o tempo gelou.
Minha senhora vestida de sonhos com franjas do luar
Ou o amor não é amor ou ninguém nunca te amou...

Há fogo, há sóis intactos
E algo cintilante e solto
Que flameja, foge no vestígio casto
Onde, um vento revolto
Apaga os rastros...

O Sibarita

Caros leitores o Porta Curta dessa semana é com o falecido Chico Science, Regina Case e Fred 04 “A Perna Cabiluda” é um documentário IMPERDÍVEL. Uma misteriosa aparição causou pânico em Recife nos anos 70! Da mesma equipe de Cinema, Aspirinas e Urubus, um dos melhores longas brasileiros dos últimos tempos. De Beto Normal, Marcelo Gomes, João Júnior, Gil Vicente 1997 19 min.

DEPOIS OUÇAM A WWW.SIBARITAWEBRADIO.COM MÚSICA E ATITUDE, SE LIGUE!

17 comentários:

Fernanda e Poemas disse...

Lindo Sibarita, lindo mesmo o teu poema, tocou fundo o meu sensível coração.
Muitos beijinhos!
Fernandinha

Déa disse...

Menino... Gostei desse poema. Toca até mesmo quem não está apaixonado. beijos

carla granja disse...

o que dizer de um poema tao belo e k nos fica na memoria e no coração : ) adorei :=) se kiseres vir ler um misterio tás há vontade ,mas sou franca hoje nao tava inspirada pa poemas :=)
bjo
carla granja

Sonia disse...

Sibarita, sabe que a Irene deletou por engano o blog dela? Por engano ou ato falho? Do jeito que ela andava sem tempo, trabalhando em horário integral e fazendo frilas nos fins de semana, inclino-me um pouco pela segunda hipótese. Não tinha tempo para escrever nem para visitar outros blogs, nem mesmo responder aos que a visitavam.

keila, a Loba disse...

Sempre soube que éramos bons amigos, ainda mais porque vou estar em Salvador dia 17 de outubro com meus meninos e meninas com mais de sessenta, e vou querer ver você, também que nos leve ao clube da petro na sexta ou sábado pela manhã, o que acha? rsrsrsrs

O pior é que é sério, Sibarita. Ainda não sei o nome do hotel que ficaremos hospedados, mas amanhã te passarei isso com certeza, ok?

Me diga alguma coisa!

BeijUivooooooooooossssssss da Loba

Claudinha disse...

Puxa, comovente este amor de fogo, sal e asas. Gostei demais! Beijos!

Sol da meia noite disse...

Belíssimo!

Tanto na vida que são apenas vestígios...

Beijos!

Leticia Gabian disse...

Meu cumpadi,
Quantas perguntas! Tantas permanecerão sem as devidas respostas, não é?

"Há fogo, há sóis intactos
E algo cintilante e solto
Que flameja, foge no vestígio casto
Onde, um vento revolto
Apaga os rastros..."

Inquietante e belo.
Beijão, querido

Maria disse...

Oi Siba

Quem está apaixonado, quem é?
Eu? kkk Sua cumadi? kkkkk
E por aqui, cê num tá apaixonado não? kkkkk

Lindo e inquietante, meu Amigo
tô cheia de saudade.....

Beijos

Juliana Belo disse...

Olá Sibarita!
É muito linda a tua poesia!

Beijos

Juliana Belo disse...

"Na fotografia, o Puppy, já fraco mas feliz, descansa em frente à lareira com o focinho escondido entre as patas dianteiras, talvez a sonhar com o mesmo que sonho todos os dias. Talvez a recordar as alegrias que ela lhe deu. Talvez a chorar a sua despedida. No dia em que tirei essa fotografia, achei que podia guardar para sempre a imagem de um cão que parecia sentir precisamente o mesmo que eu. Até dele eu sinto falta. Compreendiamo-nos mutuamente nos momentos de dor, partilhávamos sempre todas as horas de alegria. Éramos o que se podia, de longe, chamar família."

Convido-te a visitar "O Sol daquela Noite"

Alice Matos disse...

Quando puderes passa pelo Detalhes.
Tenho um carinho para ti...

Beijos...

Alice Matos disse...

Que belo diálogo, Sibarita...
Palavras de amor... lançadas... moldadas... jogadas... como se de um quadro de cor se tratasse...

Beijos para ti...

Fernanda e Poemas disse...

Sibarita amigo ,grata pela tua visita ao Pensamentos -Fernanda,
vou desejar-te um Bom Domingo.
Muitos Beijinhos!
Fernandinha

sveronica disse...

Aiai...Que fogo é esse...

Um beijinho bemdocinho procê!

Menina

Alexandre disse...

Há no teu poema vestígios de luar e vestígios de chamas algures por apagar ou transpor para um mundo cada vez menos cheio de vestígios - eles existem mas as pessoas não sabem interpretá-los!

Um abraço!!!!

Fátima disse...

Sibarita,

LINDO, LINDO!!
Encheu meu coração de saudade...

:-) beijinhos