quarta-feira, novembro 11, 2009

APAGÃO I e I I

A P A G Ã O

Sob o signo dos apagões
unidades e fábricas paradas,
canta-se o réquiem, chora a natureza
com a sua morte anunciada.

Correntes, curtos-circuitos e sobre correntes
tensão, sub-tensão e sobre tensão
potências ativa, reativa e aparente,
é a nação de candeeiro na mão!

Painéis, seccionadoras, relés, disjuntores
redes elétricas de alta e baixa, afloramentos
tc`s, tp’s, trafos elevadores e abaixadores.
Bancos de bateria, retificadores e aterramentos
valha-nos Cristo! Curto-circuito nos investimentos,
afunda-se a geração, ai Deus, faltou tensão!

Paulo Afonso, Tucuruí, Sobradinho, Xingó, Itaipu
Entre rios e Lagos, hidroelétricas inertes,
fazem-se paralelos: sistemas anelados,
cargas acima da capacidade, SOS!

Não há geração, pinta o apagão!
Culpa-se a chuva pela limitação,
nasce João José Brasil de fifó na mão!

O Sibarita

A P A G Ã O II

Lá vem a escola de samba unidos da escuridão
Desfila sob o signo do apagão na luz de candeeiros.
No porta estandarte: o povo sufocado e o apagão
No enredo: sistema elétrico limitado, Brasil sucateado
Tio Sam cheio de verdinhas mostra os dentes e toca pandeiro
Josés e Marias esfarrapados requebram na ala dos ludibriados.

A Aneel preocupada manda a conta dolarizada,
As distribuidoras entregues aos estrangeiros
Tem Tio Sam solidário morrendo as gargalhadas
E ao final do mês surrupiando o nosso dinheiro
Enchem as burras na miséria do povo brasileiro.

Abrem-se as cortinas, um grande teatro,
Na escuridão das coxias o povo de palhaço
Procura o lume no primeiro ato!
Fecham-se as cortinas,
Acendem-se as velas é o apagão,
E a nação moribunda pede a extrema-unção!

Curujebós colocam ebós nas encruzilhadas
Ogans repicam os atabaques nos terreiros,
Os Orixás pedem a luz do candeeiro
Zé povim atochado clama aos Santos Guerreiros

O Sibarita

19 comentários:

paula barros disse...

Falou em eletricidade e deu choque nos neurônios do poeta. Foi dando o apagão e acendeu um vozeirão na mente. Deu curto circuito e saiu essas poesias eletrizantes.

Conhecedor do fatos soube fazer um crítica bem humorado e séria.

beijo

Layara disse...

rsssss....

e clamamos na escuridão das incertezas, e foi mesmo o tempo de chuva, viche...e deu pane em Itaberá...e a previsão...rsssss...engenheiros de Itajubá...viche que tudo rima nesse apagão...

Beijos a luz de candeeiro....rssssss...

VANUZA PANTALEÃO disse...

É isso aí, Siba! O apagão tá fazendo muito estrago por aqui, ainda há pouco a energia oscilou. Volto amanhã, amigo!!!Bjssss

Grace Olsson disse...

veja se dar noticias....já que nao responde aos emails...kkkkk
to indoa o Brasil, hj
bjs e diasf elzies


graceolsson.com/blog

Uma aprendiz disse...

Bom dia, Sibarita

Já apaguei as velas
e agora na tela
de posse e uso
da minha parte
da hidrelétrica
venho aqui e leio
retratada toda a
minha idgnação
com a liderança brasileira
ou, parte dela,
a que nos mantém nas mãos
e diante do engodo
culpam quem?
Deus e a natureza.


Pensamos da mesma maneira: há mais segredos nessa história que podem supor nossa vã ciência.

Perfeita sua poesia/reflexão. Parabéns.

Agora sou fã, não só do poeta, mas, também, do jornalista investigativo que seu texto revela.

Beijos, de sua fanzoca paulista

Uma aprendiz disse...

Bom dia, Sibarita

Já apaguei as velas
e agora na tela
de posse e uso
da minha parte
da hidrelétrica
venho aqui e leio
retratada toda a
minha idgnação
com a liderança brasileira
ou, parte dela,
a que nos mantém nas mãos
e diante do engodo
culpam quem?
Deus e a natureza.


Pensamos da mesma maneira: há mais segredos nessa história que podem supor nossa vã ciência.

Perfeita sua poesia/reflexão. Parabéns.

Agora sou fã, não só do poeta, mas, também, do jornalista investigativo que seu texto revela.

Beijos, de sua fanzoca paulista

A Senhora disse...

Fantástico!
O primeiro foi na mosca. O segundo no coração - afinal, quem paga somos nós, mesmos, que vamos deixando a coisa correr, abaixando a cabeça para as explicações mais descabidas que aparecem.

beijinhos

Melanie B. disse...

Senti muitissimo nao poder ter vindo antes aqui agradecer tua animada visita ao meu blog! rs
Adorei a agradeço de coraçao.
Um Grande Abraço
:)

Desnuda disse...

Querido Sibarita,

e eu que falei das velas do feitiço kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Castigo veio com a rapidez do apagão! Kkkkkkkkkkkkkk


Adorei esta Siba: " ...nasce João José Brasil de fifó na mão!"

Nasceu o filho de cruz credo! Crendeuspai!

Deixa estar que Sibarita tem muita luz e ilumina cabeças e corações pelas palavras de sabedoria.

Ahaaaaaaaaaaaaá letrista de reggae!!!! Sou dançarina de raggae hahhahaah...Solto as asas louvando a Natureza , o amor e paz de Jah!

Beijos, amigo!

Bandys disse...

Eita siba,
É por isso que não largo meu radim de pilha e a lanterna. Escuridão só se for com um amorzão..

A coisa ta ficando preta ou branca sei la..

Olhe, quero agradecer seu carinho, sua atenção e que ano que vem eu possa estar clareando meu blog (hahaha)com pessoas iluminadas como você.

Mas vou querer um especial..ah se vou??

"O amor de uma grande amizade:
é como a luz do dia,
clareia o pensamento,
anima o coração
e enche a vida de alegria."

Beijos e investigue isso..hehehe ta vendo, ainda bem que roubei a poesia com autorização e no clarão!

Beijos no teu ♥

Deusa Odoyá disse...

Olá, meu querido amigo Siba.
Não tenho nada a comentar, apenas concordo com as minhas amigas Desnuda e aprendiz.
Só lamento, morar num pais esquecido pelos governantes.
E vc. meu querido, conhecedor das causas da eletricidade, sabe que teriamos que ter mais engenheiro competentes para estarem sempre de prontidão , justamente para nunca acontecer isso.
O apagão...
Uma semana de muitas realizações, paz,, amor e luz.
mil beijinhos de saúde para painho.

Beijinhos doces, meu anjo amigo.
Regina Coeli.
Te dolo, poeta.

VANUZA PANTALEÃO disse...

Apagaram as luzes de uma nação de tão grandioso coração. Que maldade, né amigo? Será que Xangô vai deixar passar essa?
"Acender as velas já é profissão, quando não tem samba, tem desilusão." Foi assim que o nosso Iluminado Zé Kéti cantou no apagão da ditadura...tem jeito isso aqui? Não, nem precisa responder.
Cafezinho com pão com manteiga tem sim, sinhô, oxente!!!Bjssss

VANUZA PANTALEÃO disse...

Oi, Zé!
Teve apagão até na minha cuca, hahahaha...li sim, meu amorrrrrrr
Beijaço!!!

Pena disse...

Fabuloso Poeta Amigo:
O que faz um "Apagão" que ouvi na televisão e, agora, aqui.
Um poema soberbo e gigantesco de imensa sensibilidade poética sublime. Admirável.
"...Correntes, curtos-circuitos e sobre correntes
tensão, sub-tensão e sobre tensão
potências ativa, reativa e aparente,
é a nação de candeeiro na mão!..."

Realmente, origina tudo isto que tão fantástica e talentosamente, poetisa.
Chamo à narração em versos deste acontecimento de DIVINAL SENSIBILIDADE DE FAZER VERSOS GENIAIS.
Parabéns sinceros, poeta Sibarita.
Abraço de amizade e imenso respeito pela sua gigantesca significação sublime de maravilhar com a sua criatividade de "confeccionar" versos perfeitos...

pena

MUITO OBRIGADO pela sua simpatia no meu blogue.
Bem-Haja, Admirável Poeta Amigo de deslumbrar as musas de sonho.

Ana Paula Duarte disse...

Ixii, nem fala em apagão...shushus'
Gostei do seu blog, belo texto baianoo!
Obrigada pelo comentário no blog da Band's.
Bjoo.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Dom, até do apagão você fez refrão?!? Sem noção essa ilusão que enxergamos na escuridão... rimei, vai vendo! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Aí você tem a cara de pau de falar que não sabe escrever?!? Conto é um conto, uma história imaginada, pintada ou arrancada... se vira ou chama o Zé, ele eu tenho certeza que não foge da raia! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Véio, ela está com saudade... tô ferrado, mas pedir penico nunca... me respeite, pô! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

abração e até mais, Dom!


Jota Cê

Desnuda disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


Bá noite quem é da noite! ZÉEEEEEEEEE Corró, você me mata de rirrrrrrrrrrrrrrrr!

Anna e Cesar disse...

O apagão em algumas cidades do país fez com que os neurônios do Cibarita sofressem um choque de inspiração.
Santa e bendita inspiração:
"Fecham-se as cortinas,
Acendem-se as velas é o apagão,
E a nação moribunda pede a extrema-unção!".
De vez em quando acontece algo para que apague a consciencia da população e fico pensando: Eita povinho besta o nosso, não é?!
Bem que o apagão poderia ser em Brasilia... rsrs Aliás, apenas Brasilia não: nas três esferas de poder, quem sabe ao acender das luzes eles realmente abrissem os olhos para o mundo??
Brigadim pela visita seu moço, as portas da casa estão sempre abertas para você, volte sempre!
Uma noite de paz e muito amor e uma sexta de alegriasssss!!

Cris Teles disse...

Deu pano pra mnanga esse apagão né..
Mas passei aqui, pra lhe desejar uma semana de muita LUZ e ENERGIA!!
Beijão,
Cris