quarta-feira, junho 20, 2007

O CIRCO

O Circo
Hoje tem marmelada? -Tem, sim senhor!

Senhoras e senhores, adorável público... boa noite!
Iniciando o espetáculo, ele, o sofredor de emoções.
No globo da morte, o amor, faz e acontece nos açoites,
E versando à amada, ali está, o palhaço em evoluções!

Amada, entrego-te o coração escrevendo o teu nome
Agora, sob a lona desbotada deste circo, eu, o palhaço
Arranco gargalhadas da platéia no fel do teu assombro
Enquanto, no trapézio, animo o céu dos meus farrapos!

No suor das gargalhadas nasci palhaço para te amar
Desse picadeiro abro consultas ao livro dos oráculos
Chamo, digo o teu nome, em resposta vejo o teu olhar
Costuro no então a lona rota na seiva do espetáculo...

Pois, reinvento a inocência brincando de palhaço
A melhor parte! No picadeiro como berço do riso
O meu coração faz acrobacias ao léu... disfarço
E clamo aos espectadores que rimem flor e dor!

Dar-te-ei o sol das copas orvalhadas do meu olhar
E nas peripécias do teu coração... laço e enjaulo!
Amor felino! Eu, o sofredor de emoções sob o luar
Desta lona rota e nesse trampolim, balanço, caio...

Admirável público meu cordial muito obrigado
Encerrando este espetáculo bradem comigo!

"O raio do sol suspende a lua,
Olha o palhaço no meio da rua...”

O Sibarita

22 comentários:

M@ri@ disse...

Ola meu doce amigo
sempre nos prendas com a tua maravilhosa escrita.


beijo doce

Claudinha disse...

Puxa que lembrança mais doce de minha infância. Lá nas minhas montanhas cantávamso errado , assim: Abaixa o sol suspende a lua, olha o palhaço no meio da rua. Eo palhça sempre era o ladrão de mulher... Beijos e obrigada pela lembrança terna!

Maria disse...

Que lindinho este poema, Sibarita...
Por aqui tem marmelada, sim e amoras frescas!!!

Beijo

Leticia Gabian disse...

Cumpadi,
Às vezes o coração da gente é obrigado a uma série de malabarismos: temos que engolir espadas(em lugar dos sapos). Cuspimos fogo, em verdadeiras labaredas de palavras que queimam, ferem e magoam. E nos fingimos de alegres, escondendo nossa tristeza e decepção por trás da máscara de palhaço.
Mas, sabe que não trocaria nada disso pela segurança do nada sentir?

Grande beijo

Mila disse...

Este circo tem marmelada lá na horta passou furacão....Efeitos do solstício de verão.Quando os deuses se encontram em plena juventude e com muita energia.....para amar eternamente.

cris disse...

Ahhh, que lindo! Tem coisa melhor que ser palhaço? eu me alimento do riso que faço fluir nos outros, adoro isso, nada melhor que a risada...

mas é verdade que quem faz rir, as vezes quer chorar...

mas tem forma melhor de lidar com a dor do que rindo?

Recebeu o e-mail?

Beijão e bom dia!

Alice disse...

"No suor das gargalhadas nasci palhaço para te amar..."

Oi, Sibarita...
Amei este teu poema!
Sabes... sempre me fascinou esta capacidade do palhaço fazer rir, mesmo quando chora...
É na verdade uma imagem perfeita do amor...

Beijos...

Entre linhas... disse...

Que poema engraçado,embargado de alegria contagiante de um palhaço.
Bom fim de semana
Bjs Zita

poesiadaspiramides disse...

Palhaços no circo da vida, que já não foi
**

Alexandre disse...

Que excelente homenagem ao circo e a todas as pessoas que o fazem... óptimo ideia ... o CIRCO agradece!

Um abraço!!!

Cris Teles disse...

Olá!!!

Vc e seus textos maravilhosos!!
Como e bom ler coisas tão lindas,faz tão bem a alma...

Um ótimo fim de semana pra vc!!!

Beijos

Cris Teles disse...

Ah, esqueci de dizer que o coloquei entre os meus favoritos no meu Blog!!!

Bjos

DELÍRIOS disse...

DESEJOS ARDENTES

Quero nos teus braços ser acarinhada
nos teus beijos encontrar todo amor
desnudando minha alma apaixonada
e alucinada para sentir o teu calor.

Te quero pomposo e imperioso
libertando todos os meus desejos contidos
com teu jeitinho atrevido e malicioso
provocando em mim suspiros e gemidos.

Permita-me te amar ardentemene
saciando as minhas desvairadas fantasias
toma-me nos teus braços com desejos ardentes
e grave em mim a marcas das tuas ousadias.

Faça-me prisioneira de todos os teus carinhos
meu corpo inquieto clama por paixão
quero a chama de todos os ninhos
e teu corpo como lavas de um vulcão

Bjus iluminados e perfumados de Delirios...

Kiprokó disse...

ha nem me fale, morri de vergonha e de felicidade com a indicação em tão respeitável blog... tudo ainda é muito recente.

MAs quanto ao seu, já era freqüentador antigo, conhecia pelo blog da Irene, e sempre gostei muito daqui...agora vou ficar mais à vontade, até tirei o sapatos.

hahahahahahahaha

obrigado pela visita, mesmo!

Alice disse...

Passei para desejar um bom fim de semana...

Beijinhos...

Cintia disse...

Ô, meu rei, vc me perguntou porque demoro a postar lá na blog... é falta de tempo, visse?

Gostei do poema... tá apaixonado, é?

Beijocas,

PS: Desculpa meu baianês de rede Globo, mas é que ainda não cursei o módulo avançado...

Mel de Carvalho disse...

Sejamos palhaços, andarilhos, arlequins, vates e outros mais.
Sejamos neste palco da vida em que habitamos verdes de nós e negros de cinzas, peregrinos finais de um tempo em que o tempo se desencontra tanto dentro de si.

Pois bem, encontrei este caminho.
Gostei da casa, gostei dos poemas.

Ofereço passagem inversa.

Um abraço
Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt
www.maresiademel.blogs.sapo.pt

Mandy disse...

Isso me lembra cordel... E trovadorismo! A figura do amante como um arlequim... Será que não somos um pouco disso quando amamos no espetáculo da vida?

Beijos!

Fred Neumann disse...

Olá, caro Sibarita circense,

O poeta-palhaço do amor, o romântico final das tendas.
Grande,grande!

abraço,

Fred

Déa disse...

Oi querido. Não passo frequentemente por aqui, mas sempre que passo leio tudo. Bom, parei nesse post porque nunca consegui gostar de circo, e até meso tenho medo de palhaços... Pode? Beijos

O Sentir dos sentidos disse...

Siba Querido...

Cada leitura que te faço um espanto, um olhar perplexo para as belezas tantas que deixas em cada sentir traduzido: "Dar-te-ei o sol das copas orvalhadas do meu olhar, e nas peripércias do teu coração...laço enjaulo!"

"Amada, entrego-te o coração escrevendo o teu nome agora, sob a lona desbotada deste circo,eu, o palhaço..."

QUE COISA MAIS LINDA DEUS!!!!!!!!!

Ah!!! Meu Veio SIba... te encontrei ...e tô colada viu?
Aqui estarei todas as vezes que me deparar com esta máquina mágica, que nos faz conhecer ... descobrir mundos de belezas sem fim...descobri o teu mundo Siba...favor não confundir com Simba...kkkkkkkk...o Rei Lhear viu fiu? kkkkk. Sei..sei...ocê é rei...mas é "rei da bahia" certo meu rei?
ADOREI!!!!!!!!!

Beijo de Farol da Barra, kkk

Ps: Vou ler o próximo...eu juro que vou te ler do princípio ao fim, porque tua leitura é simplesmente deliciosa, amorosa,terna, apaixonada, e em alguns textos humorada e escancarada.Outro beijo.

Dimára disse...

Maravilhoso, não tenho palavras para demonstrar o que sinto. Parabéns