terça-feira, abril 08, 2008

AMOR (RÉQUIEM)

Amor (Réquiem)

Em qualquer noite, qualquer dia,
Apago o teu coração, o teu olhar.
Mato o desejo e no riso da agonia
Deixo gota a gota o amor sangrar...

Na pré-coma... na coma profunda
Corto o oxigênio e no estado terminal
Uma flor na lapela da dor que se afunda
E no descanse em paz farei o teu funeral!

Cremarei tudo: o amor, a paixão e a dor.
E sob a noite fria, sem lua, um pandeiro
Alforriado rufará sobre o mar desolador
Onde jogarei as cinzas à luz de candeeiro!

Te farei orações daquele meu antigo sonhar
E olhando o horizonte como desejo derradeiro
Será na missa de sétimo dia sob a lua de *Jauá
Que chorarei às estrelas por esse amor arteiro!

De luto mostrarei ao luar os sonhos que em ti sustentei
Transformarei em silêncio o presente das lembranças
E cortarei em mil pedacinhos o tempo em que te amei.
Oh, Deus! A porta entreaberta, ainda, range de esperança.

E no entanto, o réquiem dessa paixão cortada ao meio
São versos fúnebres... busco em ti o desejo que se lança
Em mim falta a metade inacabada do teu coração alheio
Por não saber se esse meu querer o teu amor alcança!

O Sibarita
*Jauá, lugarejo de praia com luar muito bonito, Cidade de Camaçari/Ba. Litoral Norte de Salvador.

11 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá amigo Sibarita, li com muita ternura, esta belíssima escrita... Parabéns...
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Maria disse...

Também quero ir a Jauá.... quando ai estiver....
:)
Brincadeirinha, Sibarita.

Beijos

Auréola Branca disse...

Ela admirava sua escrita. Admirava seus poemas. Seus poemas não eram somente palavras ao vento, tinham mensagem. Talvez de um coração eternamente apaixonado por alguém.
Ela sabia que, ao conversar, teriam aquelas pessoas que falariam pra sua alma. E ela gostava de conversar de alma pra alma...
Grata, seus olhos umedeciam.

Alice Matos disse...

"Oh, Deus! A porta entreaberta, ainda, range de esperança..."
Que belo poema, Sibarita! De alguma forma sinto que não me é estranho! Que já o li antes e que ficou guardado nos meus pensamentos.Será? É arte da escrita e do sentir...

Um beijo para ti...

Pena disse...

Estimado Amigo:
Olhe, tem um lindo versejar.
Incisivo. Profundo. Majistral. Onde as palavras comunicam com expressividade de uma fluidez poética plenamente conseguida e com sabor a mais.
Possui o dom de absorver e conquistar lucidamente uma atenção, brilhantismo e querer numa postura sincera e poderosa de estar na vida. Sentimentos a alguém que deve ser magnífica e bela.
A pessoa que você é, torna-se admirável no sentimento e nas atitudes.
Um Bem-Haja sincero.
Sempre a lê-lo com satisfação pela forma soberba como o faz.

Abraço de amizade que estima e respeita

pena

São disse...

Mas que sentida declaração de um amor muito grande!!
Que comova a quem se destina, é meu voto!
Abraço por cima do oceano ...

Auréola Branca disse...

Ela ria... E assim encantava mais...
Obrigada pelo comentário.

Dih. disse...

Háááá siim!
tendi o pq de sibarita! rsrsrs
e gostei viiiw! muito cirativo e interessante!
E adorei seus comentários no meu blog, vc escreve muiiito bem!
e vc comentou em todas as minhas postageeens! Oooowwwwnnn!!!!!!
Brigada MESMO!
como vc pode perceber meu blog é novinho, pra falar a verdade jah 3 fotologs e 2 blogs mas por falta de tempo de escrever e postar acabei fachando, mas este eu estou me esforçando meeeesmo para sempre postar!
E noossa..sei que jah disse isso no outro comentário mas seus poemas são simplismente demaaaais!
Quero um livro seu!
rsrs..
vc jah tem um livro?? naum??
O q tah esperando? rsrsrs
Pelo menos uma consumidora vc jah tem viiw!
;)
Bom...eh isso, e como amei seus poemas prometo passar sempre pra dar uma lida neles tah??
Bjaaaum!
;*

Oliver Pickwick disse...

Um típico "poema de cemitério", ou gótico. É para poucos; por exemplo, Baudelaire, o melhor neste gênero.
Sibarita, desconfio que a lua de Jauá não é a mesma dos outros lugares.
Um abraço!

Pati disse...

Olá,obrigada pela gentileza do comentário...seu humor foi bem adequado ao tema (...ou eu deveria dizer deboche?) A opinião de cada um depende dos seus valores,do momento e do tom q se quer dar.Internet realmente é uma piada,aliás,o mundo de hoje é uma piada e nós os palhaços que vivemos nele e apesar disto,os palhaços também amam.É bem provável que o que você sente e pensa sobre o amor seja o mesmo que eu e eu não expressaria melhor do que vc em seu (Réquiem) Amor.
Como eu disse lá,aqui ou fora daqui,AMOR depende da disponibilidade e da capacidade de cada um de se comprometer,afinal,
os personagens são os mesmos,só muda o meio.E eu nem falei em sexo, virtual ou não.Falei em Amor ,SENTIMENTO...vc que escorregou para o desdobramento virtual da coisa,que,diga-se de passagem,tem muita gente que não endossa e eu me incluo nesse rol.

Bjos

Sandra Fonseca disse...

"Oh, Deus! A porta entreaberta, ainda, range de esperança."

Texto bacana, cativante...gostei dessa porta rangendo de esperança.Um misto de desejo e quase raiva.
Axé!