segunda-feira, abril 14, 2008

NADA ALÉM...

Nada Além..

A Oliver, Pati, Dih, Pena, Maria, Nilson Barcelli, Grace, Júlia...

Nada sei além desta janela
aberta diante do meu olhar.
É a maré, é a maré!
Lixos e ratos
estampados no horizonte
de urubus circundando
pelo céu sob a réstia
do sol alumiando meus olhos
perdidos no escarcéu.
Olhando da janela
a visão é ciclope
e me remete
à infância na maré.
As rajadas no azul cinza
de moribundos dias
não esquecidos.
Quebrantava-se o dia...
Era a vida!
Miríade de sonhos
na misantropia
dourando barrigas de lombrigas
sucumbindo pela anemia...

Nada além...
A fome e o lixo!
Das flores,
apenas, o resquício.

O Sibarita


15 comentários:

Pena disse...

Estimado e Notável Amigo:
Este "Nada Além" vive e respira da janela do nada diante do seu majestoso e sóbrio olhar.
Fala com alguma sensação de desagrado da infãncia da maré que sustenta todo o belo poema e todo o seu poder genial.
Os dias moribundos de dor de uma vida vivida.
Uma misotropia que não se deseja. Não se coadugna consigo. Eu não a sinto, vejo apenas o seu notável sentimento poético real e belo.
Fome. Lixo.
Profundo versejar. Tão talentoso que prende, cativa e abarca.
Sublime de beleza.
Olhe, escreve como ninguém.
A sua poderosa Alma sensível de poeta faz das palavras o que deseja.

Parabéns inequívocos pela magia feita poema.

Sensacional sentir expresso deliciosamente.

Abraço repleto de amizade, admiração, e consideração.

Com imenso respeito

pena

São disse...

Meu caro, que sofridp poema esse...
Não percamos a esperança de que melhores dias virão para as crianças de todo o planeta!
Abraço por sobre o oceano.

São disse...

Meu Amigo, estou sem saber como lhe manifestar quanto me sinto privilegiada pelo testemunho que me deu a honra de deixar no meu espaço.
Humildemente , lhe rendo homenagem pela sua resiliência e capacidade de luta!!
Também pelo seu exemplo.
Não sei a sua idade, mas desejo-lhe que o futuro lhe traga todas as compensações que o seu percurso merece!
Abraço-o fraternalmente com um respeito do tamanho deste oceano que nos separa.
Bem haja!

Bruxinhachellot disse...

Nada além da mais pura e vergonhosa verdade. Imagine vc colocar um filho no mundo para viver assim. Horrível não?

Beijos de vida.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá amigo Sibarita, tens um belo poema, sentido como eu gosto!
Amigo ,grata pelas tuas visitas...
Beijinhos de carinho.
Fernandinha

Deusa Odoya disse...

meu amigo, meu anjo e professor.
esteja em paz.
nada al�m, nos faz passar essa sua inf�ncia sofrida e n�o desejada por voc�.
Nos lembra a realidade de algumas crian�as, desamparadas por nosso governantes.
Voc� foi um exemplo vivo, e hoje adulto, venceu esse horizonte.
E atrav�s de sua lama boa, iluminada de poeta, nos faz crer em um lindo amanh�.
Teadimiro, e que deus sempre possa iluminar essa alma doce.
.abra�os sua amiga REGINA.

Pena disse...

Estimado e valioso amigo:
O desenvolvimento lindo que deu à sua vida não pode deixar ninguém indiferente. Precioso e deslumbrante como traçou e direccinou a sua vida.
Valioso e espectacular força de querer e ser, num Ser Humano de eleição.
Adorei!

Abraço sincero de uma amizade inequívoca e real. Parabéns pela sua imensa significação.
Sempre a respeitá-lo e ao que faz admiravelmente de um valor imenso.

Abraço amigo sincero

pena

Maria disse...

Mas é um poema muito sofrido, meu nêgo....
Vosmecê é ouro, mesmo... a Maria daí de cima sou eu? kkkkkkkk
Mas que honra! Eu vou, sim. Um dia destes. Faltam dois meses..... é que agora essa terra abençoada é muito quente (!!!!!!) pra mim....
No seu inverno, verão meu, ai tô... voltando (e ficava, se pudesse..)

Beijos, Sibarita

São disse...

Vim desejar-lhe um bom final de semana, em boa companhia, amigo!

Auréola Branca disse...

E ela unia-se a seus pensamentos, caro Sibarita.

Oliver Pickwick disse...

Por certo, em tempo idos a maré trouxe-lhe dor e sofrimento. Felizmente isso é um passado distante, e, infelizmente, este passado ainda atua como presente para muitos.
Mas esta fase remota não foi em vão, esculpiu-lhe o talento, dotando-o de acurada visão social.
Um poema que todos os nossos dirigentes públicos deveriam conhecer.
Obrigado pela dedicatória.
Um abraço!

José Rodrigues (JR.) disse...

meu camarada! desculpe pela demora em seguir os seus passos deixados lá no Experimentando Versos; ao segui-los aqui cheguei e, é claro, não me passou despercebido seu belo espaço. Como agora conheço o seu caminho, o seu blog, voltarei aqui mais vezes para poder ler e comentar as suas publicações.

um abraço,

Jofre Alves disse...

Venho ao cheirinho da Bahia, e colher o perfume desta elegante prosa poética, de fina sensibilidade. Desejo boa semana, com tudo de bom!

Auréola Branca disse...

Sibarita... Não entristeça. Nada somos sem passado, nada seremos sem a experiência sofrida. Como vc, muitos de nós sofremos pelo descaso da minoria, que esqueceu de olhar pra quem realmente precisa.
Sinto muito por ter te arremessado ao sofrimento, não foi essa minha intenção. Mas, de alguma forma, esse seu olhar trouxe alegria porque vc melhorou, vc venceu àqueles que não acreditavam.
Continue a olhar o passado, pra que muitas pessoas recebam a sua compreensão espiritual. E saiba: um olhar vale muito pra quem nada possui.
Adoro suas palavras.

Pati disse...

Querido Sibarita
Tenho andado ausente do blog por estar atarefada,como vc mesmo disse,viajei uns dias,mas sempre que posso venho aqui.Obrigada por me colocar listada junto com pessoas amigas,� uma honra estar aqui,virei sempre que puder.
Qto ao poema,eu diria q � um olhar melanc�lico sobre um passado denso,carregado,passado este q forja o car�ter dos homens fortes e s�bios,q sabem vencer as adversidades.Passado amargo e poema forte.Belo poema.Beijos.