sexta-feira, setembro 01, 2006

A Flor da Pele

Minha alazã, domadora de tédio, aqui adejo
Os teus segredos nos nossos limites vencidos
Sob a lua despida das partes infinitas do amor
Espreitando teus labirintos finitos em vertigem...

Ah! Relembras comigo, aquele por do sol
No Solar do Unhão, o mar, a brisa gelada
Soprando na tarde/noite do azul quase tosco
Em que buscávamos a fronteira do infinito.

E, ante, as nossas mãos protervas vibrando
Nos nossos corpos sob um céu de libidos
Circulando na semi-noite... Animais no cio,
Entrelaçados em plenos gozos e gemidos...

Ah, as minhas mãos recorrentes percorriam
O teu corpo contornando as tuas belas curvas...
Tu balbuciavas sem nexo, buscais os meus seios!
Buscais minhas coxas, o meu ventre, o meu sexo...

Ai! Os nossos sussurros férvidos do prazer e do ser,
A flor da pele... O meu sexo alucinado feito lobo!
Tresloucado, enfurecido e leve na dança do amor,
Penetrava no teu sexo úmido aos urros do teu rogo...

O Sibarita

6 comentários:

Iran disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Iran disse...

Os teus 5 minutos de fama no Blog da Santa estão rendendo. Resta saber do combustível para argumentar contra fatos, estatísticas e processos.

Ana Prado disse...

É poeta, esse baiano:)

Saramar disse...

Poeta, os ardentes e generosos versos, generosos de amor, de luxúria, são porém, doces ternos de tanta beleza que contêm...

Lindos versos, lindos!

beijos

Iran disse...

Caro Sibarita

Agradeço a visita e o comentário lá no meu blog (que não é um blog de embate político, apenas um modesto bloco de notas). Não tive intensão de travar uma guerra partidária, apenas usei o mesmo tom dado no seu comentário no Blog da Santa. Apesar da Santa assumir (o que poucos blogs fazem) sua preferência política é uma pessoa educada e que recebe muito bem seus visitantes. Penso que foi essa a motivação em responder.

Não se preocupe sou calmo, acho até um defeito, quando precisaria de uma tomada de posição mais enérgica da minha parte, em um momento tão difícil que passa o Brasil.

Sinto-me impotente, sem tempo, muito trabalho pra cumprir regras (juros, impostos, leis) impostas por um governo que mistura "Estado e Partido", ampara uma quadrilha de amigos que roubaram os cofres públicos, que não luta pelo fortalecimento das instituições, num absoluto desrespeitado ao contribuinte. Não é fácil!.

Um abraço,

Deusa Misteriosa disse...

Olá
deixas tes saudades ...
e eu vim deixar o meu
:))))))))))))))
beijooooooo